Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    24.316,97
    -168,47 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,22 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,68 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Cientistas encontram fósseis do último panda gigante europeu conhecido

Em artigo publicado no Journal of Vertebrate Paleontology no último domingo (31), cientistas descreveram a descoberta do último panda gigante europeu conhecido. Para chegar a essa nova informação, o grupo precisou remontar à Bulgária de cerca de seis milhões de anos atrás, através de fósseis presentes no Museu Nacional de História Natural do país.

Embora não seja um ancestral direto do gênero moderno do panda gigante, os pesquisadores ressaltam, no artigo, que se trata de um parente próximo. A descoberta indica quão pouco a ciência ainda tem conhecimento sobre a natureza antiga, e demonstra também que descobertas históricas em paleontologia podem levar a resultados inesperados, ainda hoje em dia.

Ao analisar os dentes do animal, os autores do estudo concluíram que a espécie provavelmente consumiu uma dieta amplamente vegetariana - mas não puramente dependente de bambu, uma vez que os dentes não parecem fortes o suficiente para esmagá-los.

Em vez disso, a teoria é que essa espécie de panda provavelmente se alimentou de vegetais mais macios. A análise dos fósseis e do cenário onde eles foram encontrados permitiu afirmar que o panda habitava regiões florestais e pantanosas.

Cientistas encontraram fósseis do último panda gigante europeu conhecido (Imagem: Nicolas DC/Unsplash)
Cientistas encontraram fósseis do último panda gigante europeu conhecido (Imagem: Nicolas DC/Unsplash)

“A provável competição com outras espécies, especialmente carnívoros e presumivelmente outros ursos, explica a especialização alimentar mais próxima dos pandas gigantes aos alimentos vegetais em condições de floresta úmida”, estimam os pesquisadores.

O artigo especula que os dentes forneceram ampla defesa contra predadores. Além disso, os caninos são comparáveis ​​em tamanho aos do panda moderno, sugerindo que pertenciam a um animal de tamanho semelhante ou apenas um pouco menor.

A conclusão dos autores é que o último panda gigante europeu conhecido pode ter se extinguido como resultado das mudanças climáticas, principalmente no contexto em que a bacia do Mediterrâneo secou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos