Mercado abrirá em 4 h 34 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,62
    +0,42 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.769,10
    +5,40 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    16.879,31
    +387,54 (+2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,92
    +12,20 (+3,14%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.512,98
    +308,30 (+1,69%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.546,25
    +21,50 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4691
    +0,0125 (+0,23%)
     

Cientistas descobrem por que alguns cocôs afundam e outros não

Em estudo publicado na Scientific Reports, uma equipe de cientistas descobriu por que alguns cocôs afundam e outros não. Na prática, de acordo com o artigo em questão, o que faz as fezes flutuarem é o gás dos micróbios intestinais.

Em 1972, um estudo já tinha mostrado que isso estava em grande parte relacionado ao conteúdo de gás das fezes, não ao conteúdo de gordura, como a comunidade científica supunha anteriormente. Na época, os pesquisadores acreditavam que esse gás vinha de bactérias intestinais que se incorporaram nas fezes, mas não puderam afirmar com certeza.

No novo estudo, a equipe conseguiu confirmar esse palpite. Os pesquisadores injetaram bactérias intestinais (coletadas das fezes de camundongos e de duas mulheres jovens aparentemente saudáveis) nos estômagos de camundongos e descobriram que isso fazia com que muitos de seus cocôs boiassem.

Cientistas descobrem por que alguns cocôs afundam e outros não (Imagem: twenty20photos/envato)
Cientistas descobrem por que alguns cocôs afundam e outros não (Imagem: twenty20photos/envato)

“Agora não há confusão sobre o que faz as fezes flutuarem, é o gás dos micróbios intestinais, não do ar engolido ou de outras fontes", concluem os autores do estudo. Para descobrir quais espécies produzem gás suficiente para fazer as fezes flutuarem, o próximo passo será introduzir individualmente cada uma delas no intestino de camundongos.

Mas por que esse assunto é tão relevante à comunidade científica? Ainda não se sabe se os fatores dependem de dieta, genética, já que isso também influencia a mistura de bactérias encontradas no intestino, diz Kannan. Assim, a ideia é entender se o cocô afundar ou não tem a ver com a saúde, diretamente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: