Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +997,93 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,66
    +1,68 (+2,10%)
     
  • OURO

    1.812,00
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    17.230,58
    +267,88 (+1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    407,87
    +6,45 (+1,61%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,88 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,05 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.763,83
    -14,07 (-0,05%)
     
  • NASDAQ

    12.007,50
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4997
    +0,0057 (+0,10%)
     

Cientistas descobrem hormônio que prevê se homens vão desenvolver doenças ou não

Em um novo artigo publicado na revista científica Frontiers in Endocrinology, uma equipe de pesquisadores descreveu a descoberta do papel de um hormônio chamado INSL3 como biomarcador precoce para a previsão de diversas doenças.

O INSL3 consiste em um hormônio peptídeo semelhante à insulina, e é produzido pelas mesmas células nos testículos que produzem a testosterona. Segundo o artigo, o nível de INSL3 no sangue se correlaciona com uma série de doenças atreladas à idade, como fraqueza óssea, disfunção sexual, diabetes e condições cardiovasculares.

Os autores indicam que alguém com baixo INSL3 é mais propenso a adquirir doenças típicas relacionadas à idade. "Compreender por que algumas pessoas são mais propensas a desenvolver deficiências e doenças à medida que envelhecem é vital para que as intervenções possam ser encontradas para garantir que as pessoas não apenas vivam uma vida longa, mas também uma vida saudável à medida que envelhecem", aponta o estudo.

Cientistas descobrem hormônio que prevê se homens vão desenvolver doenças ou não (Imagem: Voronaman111/Envato)
Cientistas descobrem hormônio que prevê se homens vão desenvolver doenças ou não (Imagem: Voronaman111/Envato)

Para chegar à descoberta, a equipe analisou amostras de sangue de 3 mil homens. Os resultados mostraram que, ao contrário da testosterona, o INSL3 permanece em níveis consistentes ao longo da vida.

“Agora que sabemos o importante papel que esse hormônio desempenha na previsão de doenças e como ela varia entre os homens, estamos voltando nossa atenção para descobrir quais fatores têm mais influência no nível de INSL3 no sangue", apontam os pesquisadores. Assim, novos estudos devem ser publicados, em busca de uma compreensão mais profunda sobre o INSL3.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: