Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.351,15
    -310,24 (-0,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Cientistas criam combustível sustentável usando sucata de alumínio e água

·3 minuto de leitura

Pesquisadores do MIT, nos EUA, descobriram como produzir combustível de hidrogênio usando alumínio e água. Em vez de utilizar o metal puro, eles aproveitaram a sucata do material para criar a energia limpa, com potencial para substituir combustíveis fósseis em motores a jato ou para geração de eletricidade.

Embora o uso de hidrogênio não gere emissões de carbono, quase todo o gás é produzido usando processos que dependem de combustíveis fósseis, como o transporte da fábrica até o local de consumo ou sua extração, o que também resulta na liberação de gases de efeito estufa.

“Fundamentalmente, o alumínio se torna um mecanismo muito eficaz para armazenar hidrogênio. Usand-o como nossa fonte, podemos estocar hidrogênio em uma densidade que é 10 vezes maior do que se o armazenássemos como um gás comprimido”, explica o professor de engenharia mecânica Douglas Hart, coautor do estudo.

Reação química

O alumínio reage prontamente com água em temperatura ambiente para formar hidróxido de alumínio e hidrogênio. Essa reação não acontece com frequência porque ao reagir primeiro com o oxigênio, surge uma camada de óxido de alumínio que o impede de entrar em contato com a água.

Laureen Meroueh descobriu como usar sucata de alumínio para obter combustível de hidrogênio (Imagem: Reprodução/MIT)
Laureen Meroueh descobriu como usar sucata de alumínio para obter combustível de hidrogênio (Imagem: Reprodução/MIT)

Para que essa reação ocorra de maneira eficiente e constante, é preciso remover a camada superior do óxido de alumínio e jogar o metal novamente na água, evitando que essa camada volte a se formar e não interrompa todo o processo de liberação do hidrogênio durante a reação química.

Outro problema enfrentado pelos cientistas é que o alumínio puro consome muita energia para ser produzido, impedindo a geração de um combustível de hidrogênio limpo e sustentável como fonte de energia. Uma solução viável seria a utilização de restos de alumínio já manufaturados, como latas e embalagens de produtos.

Sucata

Uma desvantagem da sucata comum de alumínio é que ela normalmente contém outros elementos indesejados, como silício e magnésio, adicionados à sua composição básica para aumentar a resistência, evitar a corrosão e reduzir o ponto de fusão do material sob altas temperaturas.

A saída encontrada pelos pesquisadores foi pintar a sucata de alumínio com uma mistura de gálio e índio, que permaneceria na forma líquida em temperatura ambiente. Essa mistura é capaz de penetrar na camada de óxido de alumínio, permitindo a liberação do hidrogênio.

Mistura de índio e gálio penetrando na camada de óxido de alumínio (Reprodução/MIT)
Mistura de índio e gálio penetrando na camada de óxido de alumínio (Reprodução/MIT)

Como essa mistura não reage com o alumínio, ela pode ser recuperada no final do processo e usada novamente, o que representa uma grande vantagem econômica e ambiental, já que o gálio e o índio são elementos caros e relativamente escassos para obtenção na natureza.

“Se eu tiver uma amostra de alumínio ativado que contém apenas silício e outra amostra que contém apenas magnésio, posso colocá-los em um recipiente com água e deixá-los reagir. Isso é ótimo se você está tentando projetar um sistema real que usaria essa reação como fonte de energia sustentável”, encerra a estudante de engenharia mecânica Laureen Meroueh, autora principal do estudo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos