Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,17
    +2,24 (+2,44%)
     
  • OURO

    1.804,70
    -9,00 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    24.183,66
    +435,62 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,13
    -1,61 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.338,50
    -53,50 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3290
    +0,0826 (+1,57%)
     

Cientistas conseguem "reviver" órgãos em porcos mortos; entenda

Em experimentos inusitados, cientistas conseguiram "reviver" órgãos de porco, uma hora após a morte clínica do animal. As descobertas foram compartilhadas através de um relatório na revista científica Nature, e desafiam o conceito aplicado à morte de um ser vivo até então.

No trabalho, os pesquisadores conectaram porcos mortos há uma hora a um sistema chamado OrganEx, que bombeava um substituto do sangue por todo o corpo dos animais. A solução (contendo o sangue dos animais e 13 compostos como anticoagulantes) retardou a decomposição dos corpos e rapidamente restaurou algumas funções dos órgãos, como a contração do coração e a atividade no fígado e nos rins.

Embora o OrganEx tenha ajudado a preservar a integridade de alguns tecidos cerebrais, os pesquisadores não observaram nenhuma atividade cerebral que indicasse a recuperação da consciência.

A equipe de Sestan monitorou os porcos por três dias antes de sedá-los e induzir uma parada cardíaca, dando um choque em seus corações. Uma hora depois de confirmar a falta de pulso, os pesquisadores reiniciaram a ventilação mecânica e a anestesia. Alguns dos porcos foram então ligados ao sistema OrganEx, enquanto outros não receberam tratamento.

Cientistas conseguem "reviver" órgãos em porcos mortos (Imagem: twenty20photos/Envato)
Cientistas conseguem "reviver" órgãos em porcos mortos (Imagem: twenty20photos/Envato)

Após seis horas, os cientistas registraram que a circulação havia recomeçado de forma muito mais eficaz nos porcos que receberam a solução OrganEx do que nos outros: o oxigênio começou a fluir para os tecidos de todo o corpo, e uma varredura do coração detectou alguma atividade elétrica e contração.

Os pesquisadores também notaram que os fígados dos porcos que receberam a solução produziam muito mais de uma proteína chamada albumina do que os fígados dos porcos dos outros grupos. Além disso, as células em cada um dos órgãos vitais responderam à muito mais à glicose no primeiro grupo, sugerindo que o tratamento deu início ao metabolismo.

Os pesquisadores também descobriram que os porcos que receberam a solução tiveram a ativação de mais genes responsáveis ​​pelo reparo celular. A ideia é entender de forma cada vez mais precisa essa resposta do organismo dos animais, que recentemente têm sido muito estudados por causa de transplantes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos