Mercado abrirá em 8 h 51 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,90
    +0,92 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.759,40
    +7,70 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    44.052,20
    +1.896,39 (+4,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.100,41
    -2,65 (-0,24%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.266,28
    +74,12 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    30.262,84
    +14,03 (+0,05%)
     
  • NASDAQ

    15.368,00
    +49,25 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2569
    +0,0013 (+0,02%)
     

Cientistas chineses desenvolveram anticorpo contra o HIV e testaram em primatas

·2 minuto de leitura

Há 40 anos, cientistas buscam a cura do HIV e formas mais eficazes de prevenção, como uma vacina segura. Agora, um grupo de pesquisadores chineses, da Universidade de Hong Kong (HKUMed), parece ter descoberto um potente anticorpo contra o vírus da AIDS. Em testes com o composto em animais, o BiIA-SG atuou tanto na prevenção quanto no controle da infecção.

O potencial medicamento com o anticorpo é aplicado a partir de uma única injeção intramuscular. De acordo com o estudo publicado na revista científica Cell Reports com primatas não humanos (PNH), o composto foi 100% eficaz na prevenção da infecção do HIV. Naqueles primatas que já conviviam com o vírus, o medicamento suprimiu o gente infeccioso na maioria das cobaias por dois anos. Agora, testes precisarão ser feitos em humanos.

Pesquisadores chineses desenvolveram novo potencial remédio contra HIV e já validaram em modelo animal (Imagem: Reprodução/Á. Padriñán/Pixabay)
Pesquisadores chineses desenvolveram novo potencial remédio contra HIV e já validaram em modelo animal (Imagem: Reprodução/Á. Padriñán/Pixabay)

Pesquisa contra o HIV em animais

Anteriormente, os cientistas da HKUMed já investigaram os efeitos do BiIA-SG in vitro e em camundongos (in vivo). Nesses casos, o antianticorpo da fórmula conseguiu atacar as partículas invasores do HIV e proteger as células saudáveis do animal. Inclusive, nessa etapa de pesquisa, foram testadas diferentes cepas do HIV.

Estudo com primatas não humanos

Em experimento com macacos, pesquisa validou anticorpo contra o HIV (Imagem: Reprodução/Furmanphoto/Envato Elements)
Em experimento com macacos, pesquisa validou anticorpo contra o HIV (Imagem: Reprodução/Furmanphoto/Envato Elements)

No novo estudo, os pesquisadores investigaram os efeitos do medicamento no macaco rhesus (família Cercopithecidae). Por se tratar de um primata não humano, os testes foram feitos com um tipo similar do vírus do HIV, o vírus da imunodeficiência símia (SIV). Segundo os autores, seis das oito cobaias não tratadas desenvolveram complicações em decorrência da AIDS no período de dois anos do estudo, incluindo alguns óbitos.

Por outro lado, a injeção intramuscular de BiIA-SG evitou a infecção viral em todos os seis macacos, sem o vírus, testados. Além disso, após a infecção viral, o tratamento atrasou a progressão da doença e reduziu a quantidade de vírus presentes nos animais a níveis não detectáveis (supressão viral). "Esses resultados, portanto, garantem que BiIA-SG seja desenvolvido como um novo medicamento com anticorpo universal para prevenção e imunoterapia contra a infecção por HIV-1", afirma os autores.

Para conferir o estudo completo sobre o anticorpo contra o HIV, publicado na revista científica Cell Reports, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos