Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,99
    -0,35 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.803,50
    -3,70 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    23.901,00
    +3,17 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,13
    -1,61 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.327,50
    +16,25 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3248
    +0,0011 (+0,02%)
     

Cientistas chineses descobrem um novo método de tratamento contra COVID-19

·2 min de leitura

Pesquisadores do Instituto de Pesquisa Animal em Experimentos Médicos da Academia Chinesa de Ciências Médicas desenvolveram um novo método para combater o novo coronavírus. A pesquisa, que levou 10 meses para ser desenvolvida, foi publicada online na revista acadêmica "Cellular and Molecular Immunology".

A técnica consiste da combinação entre micropartículas modificadas, derivadas de células A549, presentes nos alvéolos pulmonares humanos, com o novo coronavírus. Segundo os pesquisadores, as micropartículas celulares são ricas em colesterol oxidado e na "enzima conversora da angiotensina 2" (ACE2), que, quando combinadas com o novo coronavírus, auxiliam os macrófagos alveolares (AMs) a absorver e destruir uma maior quantidade de vírus. Vale lembrar que o ACE2 é um receptor que funciona como porta de entrada para o vírus nas células e que, dessa forma, a técnica promete "enganar" o vírus.

A estratégia conseguiu inibir a resposta inflamatória em camundongos (Imagem: PetlinDmitry/Envato)
A estratégia conseguiu inibir a resposta inflamatória em camundongos (Imagem: PetlinDmitry/Envato)

Os macrófagos alveolares desempenham um papel fundamental no sistema imunológico humano. Essas células têm a função de defender o organismo contra microrganismos e agentes estranhos, "engolindo'' partículas como micróbios e vírus, ajudando a manter os alvéolos dos pulmões limpos.

Além disso, os cientistas observaram que a estratégia conseguiu inibir a resposta inflamatória em camundongos, demonstrando que a combinação das micropartículas com o novo coronavírus pode ajudar a reduzir o desconforto dos pacientes infectados.

Tais descobertas destacam o uso potencial da combinação entre o ACE2 presente nas micropartículas e o novo coronavírus para tratar pacientes infectados pela doença. Além disso, a novidade mostra a viabilidade desse método para combater vírus respiratórios emergentes no futuro.

Considerando a capacidade dos macrófagos alveolares de absorver o novo coronavírus e regular o pH endolisossômico e a atividade inflamatória dos macrófagos, eles podem atuar como um agente terapêutico no tratamento da doença, disse Huang Bo, líder da pesquisa. O cientista espera que esta seja uma nova estratégia para o tratamento de pacientes com COVID-19.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos