Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,14
    +2,99 (+4,39%)
     
  • OURO

    1.792,50
    +7,00 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    57.474,84
    +2.862,33 (+5,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,81 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,68 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,68 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.163,00
    +112,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3051
    -0,0434 (-0,68%)
     

Cientistas brasileiros querem testar transplante com rim de porco

·1 min de leitura

Em setembro, uma equipe do NYU Langone Health conseguiu transplantar um rim de porco em um paciente humano, e a operação foi um sucesso. Já com o projeto em andamento e, agora, motivados por esse caso bem-sucedido, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) planejam fazer o mesmo, e buscam verba junto a instituições de pesquisa e secretarias do governo estadual de São Paulo para construir um biotério, local de suma importância para colocar isso em prática.

O biotério consiste em um local controlado e com ambiente sanitário adequado nos quais os embriões serão introduzidos em uma porca matriz. Uma vez com a verba, a expectativa é que leve cerca de um ano e meio para que a estrutura fique pronta, possibilitando o processo de implantação de embriões (de forma estéril, sem a contaminação dos animais com patógenos).

(Imagem: AtlasComposer/Envato)
(Imagem: AtlasComposer/Envato)

A previsão dos especialistas é que a próxima década já conte com transplantes de órgãos de animais em humanos, algo que deve ter início em países como China, Estados Unidos e Alemanha. No Brasil, os cientistas já conseguiram fazer a modificação dos genes de embriões de porcos. Até o fim do ano que vem, os primeiros porcos geneticamente modificados devem nascer. Esses primeiros ainda devem servir apenas para testes, sem transplantes em humanos.

Quando tudo estiver pronto, a ideia é que o transplante do rim de porco seja feito em pessoas que estão fazendo hemodiálise e que não tenham doador humano compatível.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos