Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    24.357,10
    -134,22 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,22 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,68 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2034
    -0,1203 (-2,26%)
     

Cientistas aliviam a dor de ratos com som

O som pode reduzir a dor em ratos, conforme descobriram autores de um estudo publicado na revista Science. Para isso, camundongos com patas inflamadas foram expostos a três tipos de som: agradável, desagradável e neutro (white noise, ruído branco na tradução livre). O curioso é que o s três tipos de som tiveram potencial para reduzir a sensibilidade à dor nesses animais.

Desde 1960, estudos mostram que diferentes tipos de sons podem ajudar a aliviar dores agudas. No entanto, o modo como o cérebro consegue reduzir a dor ainda não está claro para a ciência. "Precisamos de métodos mais eficazes de tratamento da dor aguda e crônica, e isso começa com uma melhor compreensão dos processos neurais básicos que regulam a dor", afirmam os pesquisadores, que fazem parte do National Institutes of Health (NIH).

Para explorar os circuitos cerebrais que tenham alguma relação com a dor, os pesquisadores usaram vírus não infecciosos acoplados a proteínas fluorescentes, podendo assim rastrear conexões entre as regiões do cérebro.

Através desse método, os cientistas identificaram uma rota do córtex auditivo — que recebe e processa informações sobre o som — para o tálamo (responsável pela transmissão de sinais sensoriais, incluindo dor). Nos camundongos, o ruído branco reduziu a atividade dos neurônios na extremidade receptora da via no tálamo.

Cientistas usam diferentes sons para reduzir dor em ratos (Imagem: twenty20photos/envato)
Cientistas usam diferentes sons para reduzir dor em ratos (Imagem: twenty20photos/envato)

No entanto, os pesquisadores ainda não compreenderam se outros aspectos do som, como sua harmonia, são importantes para o alívio da dor humana. “Não sabemos se a música significa alguma coisa para os roedores, mas tem muitos significados diferentes para os humanos. Existem muitos componentes emocionais”, dissertam os autores. Os resultados do estudo, que segue em andamento, podem ajudar a desenvolver alternativas para o tratamento da dor.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos