Mercado fechará em 5 h 19 min
  • BOVESPA

    113.696,37
    -481,18 (-0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    +292,65 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,00
    +0,99 (+1,22%)
     
  • OURO

    1.930,80
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    22.987,04
    -100,21 (-0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,66
    -6,53 (-1,24%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.760,14
    -0,97 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.046,75
    -60,00 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5066
    -0,0131 (-0,24%)
     

Cientista brasileiro recebe prêmio na Alemanha pela descoberta da Ômicron

O cientista brasileiro Tulio de Oliveira e o zimbabuano Sikhulile Moyo receberam, na última sexta-feira (26), o Prêmio África da Alemanha 2022, entregue pelo chanceler federal alemão, Olaf Scholz. Apesar de ser brasileiro, o pesquisador Oliveira mora na África do Sul desde 1997, onde desenvolve estudos na área da virologia. Na pandemia, a dupla foi responsável por identificar, pela primeira vez, a variante Ômicron da covid-19.

Pela descoberta e sequenciamento da variante Ômicron do coronavírus SARS-CoV-2, o cientista brasileiro Tulio de Oliveira também foi incluído na lista da revista Nature como um dos 10 pesquisadores mais influentes de 2021.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Descoberta da variante Ômicron

Para identificar pela primeira vez a variante Ômicron, os pesquisadores coletaram amostras da cepa misteriosa que provocava um aumento rápido nos casos de covid-19 na África do Sul e sequenciaram o genoma. Quando compraram a estrutura do vírus com as dos outros casos, identificaram um número muito grande de mutações. Por causa disso, foi nomeada como uma nova variante.

A descoberta gerou um alerta global e a Organização Mundial da Saúde (OMS) logo confirmou a descoberta. Mais tarde, pesquisas e estudos complementares confirmaram que a variante Ômicron se tornou a cepa mais transmissível da covid-19 até então descoberta. Hoje, o cenário epidemiológico é dominado pelas subvariantes da cepa identificada pelo pesquisador brasileiro, como a BA.5 e a BQ.1.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: