Mercado fechará em 1 h 48 min
  • BOVESPA

    109.495,29
    +1.481,82 (+1,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.923,28
    +100,05 (+0,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,65
    +0,69 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.842,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    43.223,64
    +1.024,92 (+2,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.027,42
    +32,16 (+3,23%)
     
  • S&P500

    4.588,83
    +56,07 (+1,24%)
     
  • DOW JONES

    35.395,22
    +366,57 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.291,25
    +257,75 (+1,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1329
    -0,0345 (-0,56%)
     

Cidades da Baixada têm ações de testagens para HIV no Dia Mundial de Combate à Aids

·4 min de leitura

Nesta quarta-feira, dia mundial de combate à Aids, diversas cidades da Baixada Fluminense promovem ações de testagem e conscientização sobre o HIV e Aids em espaços públicos e unidades de saúde.

Em Duque de Caxias, na Praça do Pacificador, a Secretaria Municipal de Saúde vai oferecer orientação sobre prevenção, tratamento e direito de pessoas que vivem com HIV, além de testes rápidos e distribuição de autotestes. Também haverá vacinação para Hepatite B e distribuição de preservativos. A ação tem apoio da Associação Missão Resplandecer (Amires), sediada em Caxias, e que desde 1999 luta pelos direitos das pessoas que vivem com HIV e hoje oferece assistência a 260 pacientes.

Para a fundadora e presidente da Amires, Cleide Jane, de 58 anos, um dos principais desafios para as pessoas diagnosticadas com HIV atualmente é manter o que foi conquistado nos últimos anos.

— Precisamos chamar atenção para a Baixada Fluminense, fazer com que as políticas públicas para HIV e Aids sejam respeitadas e mantidas, porque o que temos visto é o desmonte disso. Nosso principal desafio hoje é manter o que a gente lutou tanto para conquistar e que seja respeitado — afirma.

Ela defende que as casas legislativas municipais tenham frentes parlamentares sobre o tema para o desenvolvimento de políticas públicas locais:

— Cada município tem sua própria realidade, podemos fazer leis específicas. Uma frente parlamentar trataria desse assunto — explica.

A pesquisadora em Saúde Pública do Instituto Oswaldo Cruz, Simone Monteiro, uma das autoras de um estudo sobre a prevenção de HIV/Aids na Baixada Fluminense com foco nas cidades de Belford Roxo, Duque de Caxias e São João de Meriti, disse que um dos problemas da região em relação ao tema é a falta de capacitação de profissionais da saúde.

— O que a gente viu na Baixada era um certo desconhecimento dos profissionais sobre política de prevenção e ausência de campanhas. Tinha pouca circulação de conhecimento sobre a PEP (Profilaxia Pós-Exposição). Falta de materiais educativos sobre isso. Além disso, as ações para Aids eram mais percebidas como política de governo e menos como política de Estado. Um certo apagamento da Aids como problema social — explica.

Em 2020, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, os municípios de Queimados, Japeri, Nova Iguaçu e Mesquita registraram as maiores taxas de incidência de HIV em gestantes. No mesmo ano, entre janeiro e agosto, o estado do Rio de Janeiro diagnosticou oito casos de crianças menores de 5 anos com Aids, sendo três na Baixada Fluminense: uma em Nova Iguaçu, uma em Queimados e outra em Guapimirim. É recomendado que grávidas façam o teste de HIV durante o pré-natal.

Para o presidente do Grupo pela Vidda, Marcio Villard, que desde 1994 atua pela causa das pessoas que vivem com HIV, a Baixada ainda sofre com falta de assistência:

— Não tem profissionais qualificados para atender a demanda. Muitas vezes uma grávida na Baixada é atendida sem fazer o teste de HIV. Essa qualificação é super importante, porque é no pré-natal que a gente consegue prevenir que a criança nasça com HIV — diz.

O Grupo pela Vidda oferece acolhimento, assessoria jurídica e doações de cestas básicas a pessoas em situação de vulnerabilidade vivendo com HIV na Região Metropolitana do Rio.

Veja as ações das prefeituras nesta quarta-feira:

Duque de Caxias:

Das 11h às 17h - Praça do Pacificador (Próximo à Biblioteca) – Centro

Atividades: Orientações sobre prevenção, tratamento e direitos das pessoas vivendo com HIV - Realização de Teste Rápido para HIV com amostra de fluido oral e distribuição de autotestes - Distribuição de preservativos e materiais informativos - vacinação para Hepatite B

Das 10h às 14h - Centro de Referência da Cidadania LGBT – Rua Frei Fidélis, 501 – Centro

Atividades: Orientações sobre prevenção, tratamento e direitos das pessoas vivendo com HIV - Realização de teste rápido para HIV - Distribuição de preservativos e materiais informativos - Realização de teste de glicose e aferição de pressão arterial - Corte de cabelo e estética

Belford Roxo

Postos de testagem estão à disposição da população, destacando-se: Clínica da Mulher, USF Dona Isaura, Centro de Atendimento e Controle Epidemiológico – Cace (no bairro Santa Maria) e as Policlínicas Neuza Brizola (centro), Parque São José, Heliópolis e Nova Aurora.

Magé

Testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C serão realizados no calçadão da Rua Dr. Siqueira, no centro da cidade, de 8h30 às 15h.

Mesquita

Testes de HIV, sífilis e Hepatites B e C serão realizados na Praça Elizabeth Paixão, no centro da cidade, de 9h às 14h.

São João de Meriti

Na Praça Três Poderes às 8h haverá o evento “Arte, cultura e prevenção”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos