Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.859,73
    +1.767,70 (+3,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Cidades do ABC Paulista decretam lockdown noturno a partir de sábado

CLAYTON FREITAS
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Prefeitos das sete cidades do ABC Paulista decidiram não seguir a determinação do governo estadual de restringir a circulação das 23h às 5h, a partir da próxima sexta-feira (26) e, em substituição, criaram um lockdown noturno na região que vai das 22h às 4h e começará a ser implantado no próximo sábado (27). Em entrevista no palácio dos Bandeirantes na tarde desta quarta-feira (24), o governador João Doria (PSDB) fez o anúncio da medida e informou que ela valerá até o dia 14 de março e busca coibir aglomerações. Entretanto, serviços essenciais tais como supermercados, além de delivery, funcionarão normalmente. Transportes terão restrições, porém, os ônibus permanecerão rodando. No caso das cidades do ABC, a medida tem validade até o dia 7 de março. Apesar de ter um período mais curto, é mais restritiva do que a determinação do governo estadual, já que permite apenas a abertura de farmácias e equipamentos de saúde, além de interromper a circulação do transporte público. A proposta é que a partir das 21h todo o comércio feche as portas. A medida será tomada porque os municípios afirmam estar perto de de colapso na ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para casos de Covid-19, A decisão dos prefeitos aconteceu no meio da tarde, logo após o anúncio de Doria, durante a reunião do Consórcio ABC, uma associação que reúne os prefeitos de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. O anúncio de que as cidades do ABC poderiam propor mudanças mais restritivas já havia sido antecipado pelo presidente do bloco, o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), na última terça-feira (23). Questionado nesta quarta-feira sobre a diferença de horário, ele afirmou que a medida atende às adequações e realidades do bloco. "É um ajuste. Fomos mais restritivos em certos aspectos, inclusive. O horário das 4h foi pensando naqueles trabalhadores da capital que moram no ABC e que precisam chegar às 5h", afirmou. Segundo ele, a essência do conceito é a mesma, já que busca restringir a circulação de pessoas, sobretudo as que estão na faixa de 30 anos a 40 anos e atualmente passaram a ocupar mais vagas nos UTIs devido à Covid-19. "Essas medidas específicas são para controlar esse público específico", afirmou. A volta às aulas na rede municipal dependerá de cada município. Em São Bernardo do Campo, a rede municipal de ensino só retomará as aulas no dia 15 de março. O consórcio ainda não explicou quais serão as medidas punitivas para quem for flagrado nas ruas durante o período de lockdown e como será a fiscalização. Em São Bernardo, que na segunda-feira decidiu decretar toque de recolher, antes mesmo da decisão do grupo de cidades, o policiamento local terá reforço de equipes especiais das polícias civil, tais como o GRT (Grupo de Resposta Tática), e militar, com destacamento de homens do Baep (Batalhão de Ações Especiais). Eles acompanharão os 30 bloqueios a serem montados nas principais vias da periferia, região central e corredores comerciais. As entradas e saídas das três principais rodovias que dão acesso à cidade: Anchieta, Imigrantes e Rodoanel, serão monitoradas. RESTRIÇÃO NO ESTADO Segundo o anúncio do governo Doria, a restrição de circulação não impedirá o funcionamento de serviços essenciais tais como já acontece atualmente. E também não está prevista advertência, multa ou impedimento a quem precisar trabalhar no horário, como é o caso dos profissionais de saúde e entregadores de delivery. Sem dar muitos detalhes de como fará a fiscalização de quem sair às ruas, Doria disse que o principal objetivo é o de endurecer a fiscalização em todo e qualquer horário e abortar eventos ilegais ou proibidos realizados aos finais de semana e à noite.