Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.890,71
    -189,52 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Cidade de SP registra mais de 20 casos da variante Delta do coronavírus

·2 minuto de leitura

Na quinta-feira (29), a Prefeitura de São Paulo confirmou mais nove casos da variante Delta (B.1.671.2) do coronavírus SARS-CoV-2. Somente neste mês, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) identificou, no total, 22 casos da COVID-19 causados pela variante descoberta pela primeira vez na Índia. Diante desse aumento de notificações, é possível afirmar que já ocorre a transmissão comunitária da cepa, ou seja, não é mais possível rastrear a origem dos casos.

Na capital de São Paulo, o primeiro caso da variante Delta foi registrado oficialmente no dia 6 de julho na zona leste da cidade, mais especificamente no bairro Belenzinho. A SMS informou, na época, que "a pessoa trabalha em casa, diz não ter viajado, e nega ter tido contato com pessoas que viajaram". Desde então, os casos são investigados pelas unidades básicas de saúde (UBS) próximos dos locais onde os pacientes foram identificados.

Na capital de SP, 22 casos da variante Delta já foram identificados (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)
Na capital de SP, 22 casos da variante Delta já foram identificados (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)

Em nota, a SMS afirmou que os novos nove casos foram identificados através análises semanais feitas em amostras para identificar quais cepas circulam pela cidade. No entanto, essa testagem é apenas um levantamento, ou seja, nem todo caso da COVID-19 é testado. Dessa forma, é possível que o número real de pacientes infectados pela variante Delta seja maior.

No caso da prefeitura, o Instituto Butantan é um dos responsáveis por fazer o sequenciamento genético das variantes do coronavírus identificadas. O município também tem parceria com os laboratórios dos institutos Adolfo Lutz e de Medicina Tropical da USP (Universidade de São Paulo).

Variante Delta no Brasil e no mundo

De acordo com último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na segunda-feira (26), os casos oficiais de variante Delta chegaram a 169. No entanto, a somatória não inclui os novos nove casos de São Paulo. Independente disso, o Rio de Janeiro concentra a maior quantidade de casos (88 infectados) e, em segundo lugar, está o Distrito Federal, com 30 registros.

A variante Delta já está presente em 98 países, sendo predominante em alguns deles, como nos Estados Unidos e no Reino Unido. Inclusive, nesta semana, os EUA reviram os planos de flexibilização diante do aumento de surtos da COVID-19 causados pela variante. Agora, máscaras voltaram a ser recomendadas, em ambientes internos, mesmo para quem já foi completamente imunizado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos