Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.027,19
    -1.754,62 (-2,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Cidade do Rio inicia projeto de expansão de ciclovias

·1 minuto de leitura

O município do Rio de Janeiro deu hoje (25) o pontapé inicial para seu projeto de aumentar em 35%, até 2029, sua malha cicloviária, que atualmente conta com cerca de 450 quilômetros. A meta de ampliar as ciclovias e ciclofaixas em 160 quilômetros (km) está prevista no Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática (PDS) do Rio de Janeiro, lançado no início de junho deste ano.

A proposta é implantar 123 novos trechos de infraestrutura cicloviária no município. O primeiro projeto do plano, anunciado neste sábado, é uma via de 3 km exclusiva para bicicletas que ligará, pela Avenida Vereador Alceu de Carvalho (Estrada do Rio Morto), a ciclovia da orla do Recreio àquela existente na Estrada dos Bandeirantes, ambas na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Segundo a prefeitura, o edital está em fase de conclusão e o início das obras está previsto ainda para 2021.

A prefeitura considera que a cobertura da malha cicloviária é pequena no município, uma vez que representa apenas 4% de todas as vias da cidade. Além da ampliação da malha, o projeto prevê a requalificação de todas as vias existentes até 2026.

O objetivo é aumentar o percentual de cariocas que usam a bicicleta como meio de transporte principal, que era de 1,02% em 2011, para 4% em 2030, e quadruplicar as viagens diárias de bicicleta na cidade.

“A gente aderiu, como cidade líder, à campanha global de Cidades Pedaláveis [do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento, ITDP], tentando estar entre as 25 cidades do mundo que lideram essa pauta”, explicou a secretária municipal de Transportes, Maína Celidonio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos