Mercado fechará em 5 h 2 min
  • BOVESPA

    112.914,35
    -1.150,01 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.398,72
    -65,55 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,68
    +0,38 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.748,10
    -1,70 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    42.446,50
    -1.652,63 (-3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.054,66
    -48,40 (-4,39%)
     
  • S&P500

    4.443,97
    -5,01 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    34.746,22
    -18,60 (-0,05%)
     
  • FTSE

    7.064,09
    -14,26 (-0,20%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.233,75
    -69,75 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2658
    +0,0408 (+0,66%)
     

Cidade americana de Portland é palco de protestos contra racismo e polícia federal

·2 minuto de leitura

Juntos, os balões que Devon Fredericksen segura durante uma manifestação em Portland formam o número "57", em alusão à quantidade de dias que duram os protestos na cidade, a maior do estado americano do Oregon.

O polêmico envio de agentes federais para as ruas de Portland, contra a vontade das autoridades estaduais, gerou indignação e denúncias por táticas abusivas e inconstitucionais contra os manifestantes.

O protesto majoritariamente pacífico desta quinta-feira (23) terminou, como vários anteriores, em confronto entre os manifestantes e a polícia.

O edifício do tribunal federal, ponto comum dos protestos, foi alvo dos manifestantes, que jogaram lixo e lançaram fogos de artifício, iniciando focos de incêndio. Agentes federais jogaram bombas de gás lacrimogêneo, usaram granadas ofuscantes e dispararam balas de borracha, após declararem a aglomeração ilegal.

Por volta da 1h30 local, os policiais saíram de trás da cerca de proteção e avançaram pela rua em direção aos manifestantes.

Embora muitas das pessoas que protestam em Portland tenham iniciado o movimento como parte de uma onda nacional antirracista e contra a violência policial desencadeada pelo assassinato de George Floyd no final de maio, alguns dizem que, agora, protestam por motivos diferentes.

Nesta quinta-feira, centenas de manifestantes gritavam o nome do movimento Black Lives Matter ("Vidas negras importam"), mas também pediam "Federais, vão para casa".

- Portland, grande e resistente -

Os protestos em Portland ligados diretamente à morte de Floyd começaram a perder força no início de julho. Mas foram divulgados relatos sobre agentes federais que prendiam os manifestantes e os levavam em veículos não identificados.

Ted Wheeler, o prefeito democrata da cidade, acusou estes policiais de iniciarem uma perigosa escalada da situação com táticas abusivas e inconstitucionais. Na última quarta-feira, quando Wheeler foi ao encontro dos manifestantes, ficou preso em meio ao gás lacrimogêneo. Wheeler, que usava óculos de proteção e máscara, descreveu o incidente como uma "categórica guerra urbana".

O presidente Donald Trump prometeu enviar agentes federais para outras cidades, como Chicago, para ajudar a combater o crescimento da violência com armas de fogo, mas autoridades locais alertaram que colocarão um limite, diante de uma implantação como a vista em Portland.

O órgão independente de controle do Departamento de Justiça anunciou ontem que irá investigar o uso da força por agentes federais em Portland e na capital dos Estados Unidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos