Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.129,24
    -203,37 (-1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Brasileiros poderão tirar cidadania portuguesa pela internet

O governo quer tentar aliviar a pressão colocada pelos pedidos de cidadania nos cartórios de Portugal
O governo quer tentar aliviar a pressão colocada pelos pedidos de cidadania nos cartórios de Portugal (Getty Image)
  • Brasileiros poderão tirar a cidadania portuguesa pela internet

  • Medida anunciada aponta que a versão digital passará a funcionar até o final do ano

  • Esse é o serviço mais solicitado no Instituto dos Registos e Notariado

Está pensando em migrar para terras portuguesas? Uma mudança anunciada pode facilitar o processo. Brasileiros que quiserem morar no país europeu poderão tirar a cidadania pela internet.

A medida, anunciada pelo ministro da Justiça, Pedro Ferrão Tavares, ao “Diário de Notícias”, aponta que a versão digital passará a funcionar até o final do ano no site da Justiça, atualmente utilizado para averiguação de pedidos.

Uma outra possibilidade é a de “pular” uma geração para que netos consigam obter o documento. Até pouco tempo atrás, era necessário ter a comprovação da origem dos avós, ter vivido em Portugal, um contrato de aluguel ou um imóvel no país, além de outras exigências pedidas pelo país.

Com constantes aumentos nos pedidos, o governo quer tentar aliviar a pressão colocada nos cartórios de Portugal. "Queremos disponibilizar a submissão de pedidos online. Este próximo momento vai retirar uma pressão grande sobre os serviços presenciais", explicou o ministro.

Depois que o cidadão envia o pedido, é realizada uma avaliação prévia da documentação ao longo de uma operação que agiliza o processo. Já a segunda etapa continua funcionando da mesma maneira.

Nesse molde, a proposta é que o processo seja como a renovação do cartão cidadão e identidade portuguesa.

Atualmente, os pedidos de cidadania são o serviço mais solicitado no Instituto dos Registos e Notariado (IRN). Por causa disso, os prazos para a conclusão de processos podem ultrapassar 10 vezes as outras solicitações.