Mercado fechará em 3 h 9 min

Ciclista pula na água para salvar cachorro de sucuri

Os ciclistas precisaram lutar contra a cobra por 20 minutos (Foto: Miguel Tosi/Arquivo Pessoal)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Cobra soltou o cão após 20 minutos de luta com três homens

  • Sucuri foi devolvida à natureza; cachorro passa bem

O médico veterinário Paulo Sérgio Marqueti fazia uma trilha de bicicleta no sábado (14) com seu cachorro, Negão, e três amigos quando ouviu o choro do animal. O cão havia descido um barranco para beber água e foi abocanhado por uma sucuri de quatro metros de comprimento. O veterinário imediatamente pulou na água para salvar o cachorro: “Não pensei duas vezes.”

O caso aconteceu na lagoa do Pirola, a três quilômetros de Jaborandi, no interior de São Paulo. Após 20 minutos de luta com a cobra, Marqueti conseguiu salvar Negão com a ajuda do adestrador Adilson Tosi e do filho dele, Miguel Tosi.

Leia também

O veterinário se lembra do momento em que percebeu que havia algo errado:

“Nós deixamos as bicicletas e eu pulei na água. Eu consegui encontrar os dois embaixo d’água e puxar eles para fora. Aí a gente foi conseguindo fazer com que ela desenrolasse dele e ela soltasse da boca. Ela pegou na pele do pescoço dele”, conta em entrevista à TV Globo.

Eles precisaram usar pedaços de pau para abrir a boca do réptil, que não queria desistir da refeição. Marqueti conta que sempre faz trilhas com o cachorro, mas nunca haviam passado por um apuro como esse.

“A gente não pensa, porque tem muito amor no bichinho. Ele é o companheiro da gente, está sempre com a gente. O que vem na cabeça da gente nesse momento é salvar o animal”, diz.

O ataque ao cão serviu de alerta para a população de Jaborandi, que costuma nadar na lagoa nos finais de semana durante o verão.

“A gente voltou dez minutos depois e ela estava posicionada, esperando outro animal chegar ali ou uma pessoa para atacar de novo. Uma pessoa sozinha não sai dela”, conta o adestrador Adilson.

Apesar do apuro e da dificuldade que tiveram para resgatar o cachorro, o veterinário conta que nunca passou pela sua cabeça matar a cobra.

“Ela está no ambiente dela, nós que o invadimos. Com o desmatamento, os animais têm poucas áreas de refúgio. Ela precisa se alimentar e é nesses momentos que ela tenta. A gente achou que não era certo matá-la. Conseguimos soltar o Negão e liberar para que ela siga a vida dela tranquilamente”.

O cachorro sofreu ferimentos leves na pele do pescoço, onde a sucuri cravou as presas, mas passa bem.