Mercado fechará em 5 h 44 min
  • BOVESPA

    109.839,09
    +995,35 (+0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.888,68
    +331,03 (+0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,22
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.775,20
    +11,40 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    42.625,73
    -1.365,28 (-3,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.068,01
    +4,16 (+0,39%)
     
  • S&P500

    4.369,74
    +12,01 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.124,37
    +153,90 (+0,45%)
     
  • FTSE

    6.991,34
    +87,43 (+1,27%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.041,75
    +32,25 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2485
    +0,0038 (+0,06%)
     

Cibersegurança já aparece como nova prioridade em relatórios financeiros

·2 minuto de leitura

Cada vez mais, os relatórios financeiros das empresas têm usado a palavra "cibersegurança". A conclusão é de um estudo da firma de análise de dados GlobalData. No primeiro semestre deste ano, o uso do termo nesses documentos aumentou 33% — clara evidência de que se tornou uma prioridade corporativa nos últimos meses.

E esse não é o único vocábulo relacionado a tecnologia que ganhou espaço nos relatórios de finanças: palavras como "nuvem" e "big data" também têm sido mais usadas — que também refletem o aumento do trabalho remoto, comércio digital e de transações online. "A incidência crescente de violações de dados leva ao uso das expressões segurança de dados, de nuvem e de rede nos relatórios financeiros de 2021", diz Rinaldo Pereira, analista de negócios na GlobalData.

Em 2020, as alusões ao risco relacionado a cibersegurança cresceram 30% em comparação com 2019. "O anúncio de um Fundo Global de Cibersegurança pelo Banco Mundial em agosto deve aumentar ainda mais as discussões sobre transações digitais mais seguras, fusões, aquisições e investimentos em meio à complexidade cada vez maior dos ciberataques."

Imagem: Reprodução/Elements/twenty20photos
Imagem: Reprodução/Elements/twenty20photos

Segundo Pereira, palavras como malware, ransomware e violação também têm aparecido com frequência nos relatórios financeiros em 2021. Os termos começaram a pipocar nos documentos em 2019 — quando ocorreram ataques a Facebook, Capital One e First American.

O uso desses vocábulos é natural em um momento em que as companhias investem mais em cibersegurança para evitar ataques futuros. "Existe um risco progressivo de ataques de ransomware e malware em razão do prolongamento do trabalho remoto e da ascensão dos canais digitais de clientes."

As empresas parecem estar em busca de serviços de cibersegurança enquanto se preocupam com os riscos de invasões em larga escala. A crescente complexidade dos ataques e das violações é favorável para a indústria da defesa digital, na perspectiva de negócios. Nos próximos meses, discussões sobre seguros contra essas ofensivas devem aumentar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos