Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    60.984,08
    -832,46 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Cibercriminosos invadem sistemas da Acer e pedem resgate de US$ 50 milhões

Felipe Ribeiro
·1 minuto de leitura

A Acer está vivendo dias complicados. Uma das maiores fabricantes de PCs sofreu um poderoso ataque de ransomware feito pelo grupo Hacker REvil, que afetou a rede back-office da empresa. Para interromper essa invasão e devolver os dados obtidos, os criminosos estão solicitando um módico resgate de R$ 50 milhões.

De acordo com a fabricante, esse ataque não é considerado perigoso o suficiente para interromper suas operações, mas os criminosos prometem ir além se o resgate não for pago; eles querem divulgar todos os dados e criptografia das máquinas invadidas.

O portal The Record fez todo o caminho atrás dos cibercrimonosos e de seus pedidos de resgate. Com a ajuda de Marcelo Rivero, analista de inteligência de malware da Malwarebytes, a publicação conseguiu rastrear o outro portal dark web operado pelo grupo REvil. Lá, os golpistas direcionam as vítimas do ataque para as negociações de pagamento de resgate.

Imagem: The Record
Imagem: The Record

Por mais que o grupo REvil ainda não tivesse vazado tudo na dark web, já existem algumas imagens de documentos de back-office da Acer circulando pela internet, bem como os pedidos de resgate recebidos pela fabricante taiwanesa.

A Acer, por meio de um porta-voz, minimizou os ataques e não confirmou se eles partiram de um ransomware.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: