Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.345,82
    +1.857,94 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.397,72
    -120,58 (-0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,67
    +0,39 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.852,00
    +9,90 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    29.233,72
    -753,06 (-2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    656,66
    -18,22 (-2,70%)
     
  • S&P500

    3.973,75
    +72,39 (+1,86%)
     
  • DOW JONES

    31.880,24
    +618,34 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    12.060,00
    +219,25 (+1,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1419
    -0,0109 (-0,21%)
     

Cibercriminoso ucraniano cumprirá 4 anos de prisão por roubo de credenciais

Um ucraniano de 28 anos foi sentenciado a quatro anos de prisão pelo roubo de milhares de credenciais de login e por vendê-las em mercados da dark web. O criminoso utilizava uma botnet composta por mais de dois mil sistemas para roubar as informações.

Glib Oleksandr Ivanov-Tolpintsev e sua operação de botnet ficaram ativos de 2017 até 2019. Nesse período, ele afirmava que, por semana, poderia invadir e roubar credenciais de mais de 2.000 sistemas através de ataques de força-bruta através de sua botnet.

As credenciais vazadas eram de usuários de diferentes serviços do mundo todo, incluindo cerca de 100 residentes dos EUA. As informações, após serem compradas por terceiros nos marketplaces da dark web, eram utilizadas para variados ataques, desde roubo de dados até infecções ransomware.

A identificação e o julgamento do cibercriminoso ucraniano

<em>Por roubo de senhas de acesso a sistemas, o cibercriminoso ucraniano foi condenado a quatro anos de prisão. (Imagem: Reprodução/Kari Shea/Unsplash)</em>
Por roubo de senhas de acesso a sistemas, o cibercriminoso ucraniano foi condenado a quatro anos de prisão. (Imagem: Reprodução/Kari Shea/Unsplash)

Ivanov-Tolpintsev realizava as vendas das credenciais sob vários nomes, mas o Departamento de Justiça dos EUA obteve acesso a e-mails enviados pelo Google que confirmaram a relação entre os vários vendedores de senhas na dark web.

Em especial, após análise do Departamento de Justiça em conjunto com agentes do FBI, foram identificados que Ivanov-Tolpintsev havia colocado para venda credenciais de acesso a mais de 6 mil contas de sistemas diferentes, obtendo no processo um total de US$ 82,6 mil.

Sua prisão, após esse processo, ocorreu em outubro de 2020 na Polônia. De lá, foi extraditado para os EUA, onde, em 22 de fevereiro deste ano, se declarou culpado das acusações. Ele foi sentenciado a quatro anos de cadeia por crimes de conspiração e tráfico de informações ilegais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos