Mercado abrirá em 9 h 59 min
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.781,20
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    33.837,97
    +915,55 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    810,52
    +16,20 (+2,04%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.614,31
    +304,55 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.916,68
    +32,55 (+0,11%)
     
  • NASDAQ

    14.293,25
    +35,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9118
    -0,0080 (-0,14%)
     

Cibecriminosos roubam códigos-fonte de FIFA 21 em ataque à Electronic Arts

·1 minuto de leitura

Uma das maiores publicadoras de games do mundo, a Electronic Arts foi vítima de um ciberataque que resultou no roubo de diversos dados sensíveis. Entre eles estão os códigos-fonte de jogos como FIFA 21 e de diversas ferramentas internas, incluindo a engine Frostbite, empregada em games que vão de Battlefield a Dragon Age.

Informações obtidas pela Motherboard mostram que os criminosos também roubaram kits de desenvolvimento de softwares (SDKs) e conjuntos de códigos que facilitam o desenvolvimento de games. Ao todo, mais de 780 GB de dados foram obtidos e estão à venda em fóruns privados normalmente frequentados por hackers.

EA confirma o ataque

Para comprovar a ação, os invasores publicaram capturas de tela mostrando parte do material acessado ilegalmente. No entanto, nenhuma delas se tornou pública até o momento — a intenção dos criminosos parece realmente ser a de encontrar um comprador antes que essa ideia possa ser cogitada.

A Electronic Arts confirmou o ataque e os conteúdos roubados, e iniciou uma investigação interna do ocorrido. “Nenhum dado de jogadores foi acessado, e não temos razões para acreditar que há qualquer risco à privacidade de jogadores”, declarou a companhia. A organização também afirmou que já reforçou sua segurança interna e acredita que a ofensiva não vai impactar seus games ou negócios.

A empresa declarou que está trabalhando junto às agências policiais responsáveis para ajudar na investigação criminal atualmente em andamento. Essa não é a primeira vez que a companhia sofre uma ação do tipo — em 2019, perfis dos idealizadores da série FIFA foram invadidos após a organização demitir Kurt Fenech, criador de conteúdo reconhecido entre a comunidade de jogadores que fez duras críticas ao jogo em um vídeo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos