Mercado abrirá em 4 h 7 min

Ciência explica como as línguas dos gatos os mantêm limpos

A língua dos gatos contém 300 pequenas papilas rígidas em forma de colher que permitem aos animais molhar a raiz dos pelos com saliva

Pesquisadores americanos equipados com câmeras de vídeo de alta velocidade revelaram o segredo da limpeza dos gatos. Está tudo na língua - mas não do jeito que eles imaginavam.

A língua de um gato contém 300 pequenos espinhos em forma de concha, chamados papilas filiformes, que eles umedecem com saliva para limpar o pelo, segundo um artigo publicado nesta segunda-feira (19) na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Até agora, o consenso científico sobre o assunto era que essas papilas eram em forma de cone, quase como pequenas garras.

Mas na realidade essas estruturas, feitas de queratina, terminam em cavidades em forma de U nas pontas, absorvendo a saliva da boca e transferindo-a para o pelo e a pele.

"Parece um tubo cortado pela metade", disse a coautora Alexis Noel, pesquisadora do Georgia Tech Research Institute.

As papilas "atuam como um canudo: quando é colocado em um líquido, este sobe dentro desta pequena cavidade".

"Quando o gato se lambe, consegue atrair estes fluidos para as pontas e fazer com que penetrem profundamente no pelo", diz Noel, pesquisadora de engenharia mecânica.

Os gatos passam cerca de um quarto das suas vidas se limpando, e cerca de 14 horas por dia dormindo, lembram os pesquisadores no artigo.

A manutenção do pelo ajuda a remover pulgas, detritos e a aliviar o excesso de calor. O pelo do gato consiste em uma camada exterior para proteção e uma interior para aquecimento.

Seis tipos diferentes de felinos foram estudados, incluindo gatos domésticos, tigres e leões.

Os pesquisadores também dissecaram as línguas de gatos mortos e filmaram em alta velocidade as línguas dos gatos domésticos em ação.

Pesquisadores dizem que aplicações práticas desta descoberta podem incluir escovas de cabelo futuristas para humanos modeladas a partir da língua felina.

Também poderia haver usos industriais.

"Isso poderia ser muito útil para a tecnologia de limpeza de carpetes, de modo a distribuir o fluido de limpeza profundamente nas fibras", disse Noel.