Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    57.101,97
    -5.042,01 (-8,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Ciência desenvolve tratamento para fazer dentes nascerem de novo

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Já não é segredo algum que a ciência busca, à sua maneira, ajudar na resolução de determinados problemas na vida das pessoas. E uma dessas iniciativas veio à tona recentemente, por meio de um estudo publicado na Science Advances. Trata-se de um experimento cuja proposta é fazer com que os dentes que já caíram voltem a crescer, algo que revolucionaria completamente a odontologia.

Criado por cientistas da Universidade de Kyoto e da Universidade de Fukui (Japão), o tratamento envolve anticorpos monoclonais e estimula o organismo a desenvolver novos dentes. A ideia, basicamente, é proporcionar uma maneira de regenerar dentes perdidos na idade adulta ou mesmo desde a infância, por causa de alguma doença.

Mas o que acontece é que os genes que influenciam o crescimento dos dentes têm impactos de longo alcance no desenvolvimento de todo o corpo, e algumas das primeiras tentativas do tratamento causaram mais defeitos congênitos em ratos de laboratório.

Dentes de roedores em suas respectivas mandíbulas e maxilas (Imagem: Reprodução/Murashima-Suginami/Universidade de Kyoto)
Dentes de roedores em suas respectivas mandíbulas e maxilas (Imagem: Reprodução/Murashima-Suginami/Universidade de Kyoto)

Eventualmente, a equipe descobriu que o bloqueio de um gene chamado USAG-1 levou ao aumento da atividade da proteína morfogênica óssea (BMP), uma molécula que determina quantos dentes devem crescer, e permitiu que ratos de laboratório regenerassem o que faltava.

Cientistas da Universidade de Kyoto e da Universidade de Fukui desenvolvem tratamento para fazer dentes nascerem de novo (Imagem: Amir Esrafili/Unsplash)
Cientistas da Universidade de Kyoto e da Universidade de Fukui desenvolvem tratamento para fazer dentes nascerem de novo (Imagem: Amir Esrafili/Unsplash)

Vale ressaltar que depois de testar nos ratos, os pesquisadores passaram a fazer testes com furões, que têm os dentes mais parecidos com os de humanos. Nesse último caso, o tratamento funcionou, também. “Os furões são animais com padrões dentários semelhantes aos humanos. Nosso próximo plano é testar os anticorpos em outros animais, como porcos e cães", revelou o principal autor do estudo, Katsu Takahashi, durante um comunicado.

Isso significa que em curto prazo teremos um tratamento para fazer dentes voltarem a crescer? Não. Ainda há um longo caminho a percorrer antes que eles cheguem aos testes em humanos. Entretanto, o sucesso contínuo nos próximos testes seria um sinal promissor para o futuro de um tratamento que mudaria os rumos da odontologia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: