Mercado abrirá em 5 h 4 min
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,86
    -0,55 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.793,10
    -5,00 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    24.003,62
    -44,70 (-0,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,27
    -21,50 (-3,64%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.529,44
    +20,29 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.771,33
    -269,53 (-1,34%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.640,75
    -40,50 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1758
    -0,0027 (-0,05%)
     

Chupeta com biossensores pode detectar diabetes em crianças

Desenvolvida por pesquisadores dos Estados Unidos, um novo modelo de chupeta pode mudar a forma como é feito o diagnóstico e o tratamento do diabetes em bebês e crianças. O item, muito usado na infância, foi adaptado, ganhou biossensores que medem a quantidade de glicose na saliva e transmite as informações captadas, em tempo real, para um telefone.

Publicado na revista científica Analytical Chemistry, o estudo sobre a chupeta que mede a glicose foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos EUA. O produto está em fase testes, mas, se tudo correr conforme o esperado, um dia pode ser comercializado para o uso doméstico.

Chupeta com biossensores pode diagnosticar diabetes (Imagem: García-Carmona et al., 2022/Analytical Chemistry)
Chupeta com biossensores pode diagnosticar diabetes (Imagem: García-Carmona et al., 2022/Analytical Chemistry)

Como funciona a chupeta com biossensores?

Para medir a glicose na criança, os pesquisadores desenharam uma chupeta com um bico, que continha um canal estreito e aberto. Este foi projetado para que, ao chupar o bico, pequenas quantidades de saliva sejam transferidas para uma diminuta câmara de detecção. "Os movimentos da boca do bebê na chupeta resultam em bombeamento eficiente de saliva e promovem um fluxo unidirecional da boca para a câmara eletroquímica", detalham os autores.

Na segunda etapa, já na câmara, uma enzima — que está ligada a uma tira de eletrodo — consegue converter a glicose no fluido em um sinal elétrico fraco. Por sua vez, este sinal pode ser detectado por um telefone celular, sem o uso de nenhum fio. A quantidade exata da concentração da glicose é medida pela força da corrente emitida.

Fase de testes do invento para o diabetes

Por enquanto, os cientistas ainda não testaram o invento em bebês, mas os experimentos foram promissores em adultos com diabetes tipo 1. A partir do uso da chupeta, foi possível detectar alterações nas concentrações de glicose na saliva antes e após uma refeição.

"Esta demonstração inicial de monitoramento de glicose apresenta novas possibilidades para monitoramento de metabólitos em bebês e neonatos usando saliva como amostra não invasiva", afirmam os autores.

Vale explicar que, hoje, o monitoramento contínuo da glicose em recém-nascidos está disponível apenas em grandes hospitais e, na maioria dos casos, é invasivo. Agora, esta nova proposta pode ser uma alternativa para o controle da doença no futuro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos