Mercado fechado

Chromebooks e tablets registram forte crescimento de vendas em meio à COVID-19

Rubens Eishima
·3 minuto de leitura

Apesar das perspectivas pessimistas para o mercado de celulares neste ano, o segmento de computadores pessoais deve registrar um forte aumento em 2020. O terceiro trimestre mostrou um crescimento geral do setor — que inclui desktops, notebooks e tablets — em comparação com o mesmo período no ano passado, com destaque para tablets e Chromebooks.

No caso dos Chromebooks, as vendas no terceiro trimestre dobraram na comparação com 2019. Segundo a consultoria Canalys, foram vendidos quase 9,5 milhões de aparelhos da categoria, 122,4% a mais do que as cerca de 4.200.000 unidades entre julho e setembro de 2019.

“Os Chromebooks emergiram como a peça central da resposta tecnológica do segmento educacional à pandemia da COVID-19 ”, disse Ishan Dutt, analista da Canalys.

Apesar de ainda pouco populares no Brasil, os aparelhos equipados com o sistema operacional do Google — baseado no Linux e no navegador Chrome — são presença carimbada no segmento educacional norte-americano. Lá, os aparelhos tomaram mercado principalmente dos modelos de entrada da Apple, graças ao baixo custo e os recursos de gerenciamento.

Chromebooks mais do que dobraram o seu volume de vendas (Imagem: divulgação/Canalys)
Chromebooks mais do que dobraram o seu volume de vendas (Imagem: divulgação/Canalys)

O crescimento das vendas no período foi tão forte, segundo a consultoria, que a demanda ainda é maior do que a oferta de dispositivos, com encomendas ainda não cumpridas. A empresa acredita que a alta nas remessas de Chromebooks continuará até o começo de 2021.

Tablets, o retorno

Um segmento que era praticamente dado como morto e ressurgiu com força em 2020 foi o dos tablets. A Canalys estima que 44,3 milhões de unidades foram entregues no terceiro trimestre de 2020, 43% a mais do que em 2019.

Apesar da Apple manter o seu domínio do setor, respondendo por mais de um terço do mercado, fabricantes como a Samsung e Lenovo foram os principais destaques do segmento. Os sul-coreanos expandiram seu volume de remessas em quase 80%, enquanto os chineses cresceram quase 60% na comparação entre os períodos. Já a empresa da maçã registrou um crescimento de 47% na venda de iPads.

Apple aumentou sua participação de mercado em tablets, mas Samsung tirou parte da diferença para a líder (Imagem: reprodução/Canalys)
Apple aumentou sua participação de mercado em tablets, mas Samsung tirou parte da diferença para a líder (Imagem: reprodução/Canalys)

As boas vendas dos tablets em 2020 devem reverter uma tendência de queda que vinha desde 2015. Além do uso para estudar em casa, os aparelhos ganharam força no setor profissional, com a adoção de modelos com conexão celular por equipes de vendas e trabalho remoto.

Desktops seguem em queda

Apesar do crescimento do mercado de PCs como um todo, a venda de desktops continuou caindo no período. Estações de trabalho e PCs tradicionais registraram quedas de 27% e 33%, respectivamente, comparando os terceiros trimestres de 2019 e 2020. A exceção do segmento foram os desktops integrados — all-in-one, como os iMacs — que tiveram um aumento de remessas de 7%. Os modelos AIO geralmente possuem como diferencial a inclusão de webcams, bastante populares em tempos de videoconferências.

No total, o mercado de PCs (incluindo tablets) foi liderado pela chinesa Lenovo, com 18,9%, seguida da Apple (17,7%), HP (15%), Dell (9,7%) e Samsung (8%).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: