Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    50.300,98
    +209,90 (+0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Chrome bloqueará redirecionamentos em páginas abertas para proteger o usuário

Rubens Eishima
·1 minuto de leitura

O navegador Chrome recebeu uma alteração em seu código-fonte que impedirá que páginas recém-abertas redirecionem o usuário. A medida visa aumentar a segurança da navegação, impedindo que a abertura de endereços seja “sequestrada” para roubar dados ou instalar malwares no dispositivo.

A modificação foi aplicada no código do projeto Chromium e deve ser estendida a todos os navegadores baseados nele — incluindo não apenas o Chrome, como também o Vivaldi, Opera, Brave e o Microsoft Edge.

A mudança altera o comportamento dos links criados com o parâmetro target=”_blank”, geralmente usado para indicar que o endereço seja aberto em outra aba ou janela. Ao abrir a nova página, um código javascript pode ser executado para redirecionar a página, o que pode ser usado hackers para baixar arquivos ou mesmo abrir telas para pedir dados pessoais e senhas.

Com a mudança, o Chrome (e seus derivados), passa a incluir automaticamente o atributo “noopener” ao parâmetro. A mudança impede que os sites abertos a partir do link tenham informações da página original, o que pode ser usado para se passar pelo outro site.

Alteração deve chegar em 2021 no Chrome, Edge, Vivaldi e outros navegadores (Imagem: reprodução/Chrome)
Alteração deve chegar em 2021 no Chrome, Edge, Vivaldi e outros navegadores (Imagem: reprodução/Chrome)

O comportamento já é usado no navegador Safari, da Apple, desde 2018. No Firefox, é possível instalar uma extensão que aplica o atributo a todos os links clicados no navegador da Mozilla.

Já em funcionamento na versão de testes Canary do Google Chrome, o recurso deve ser disponibilizado no navegador regular no começo do ano que vem, com o Chrome 88.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: