Mercado fechará em 5 h 58 min
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,91
    -0,23 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +5,90 (+0,32%)
     
  • BTC-USD

    33.439,39
    -2.367,97 (-6,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    760,28
    +517,60 (+213,29%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.395,72
    -98,41 (-1,31%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.288,50
    -138,00 (-0,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1911
    +0,0011 (+0,02%)
     

Chrome 100 pode "quebrar" diversos sites; entenda o motivo

·3 min de leitura

O Google Chrome 100 ainda está longe de chegar, mas os criadores de páginas da internet já estão preocupados com o possível impacto da mudança de dois para três dígitos. É porque essa alteração do 99 para o 100 pode bugar a string do "user agent", um pedaço de texto que seu navegador usa a cada entrada em sites.

A mudança pode afetar principalmente os sites mais antigos, criados entre a década de 1990 e início dos anos 2000, que não tinham suporte a tantos números. Conforme o Chromium Bug Tracker, os sites supostamente afetados são principalmente aqueles desenvolvidos com Duda, um kit de web design antigo. Todas as páginas criadas com base nesse código-fonte estão sujeitas à falha, que ocorre quando há a verificação de qual versão do Chrome está em uso.

Sites criados pelo kit da Yell Business, uma empresa com sede no Reino Unido, também podem enfrentar dificuldades. É bem provável que outros sistemas mais antigos também precisem se adequar para não impedirem o acesso de 64% da população mundial.

O que ocasiona esse bug no Chrome?

De forma simplista, a falha ocorre porque os sites costumam checar qual é o seu navegador para gerar relatórios de acesso. Todo mundo que entra envia para a página o string, um pedaço de texto com dados do navegador, para a hospedagem do site. Veja um exemplo:

Mozilla/5.0 (Windows NT 10.0; Win64; x64) AppleWebKit/537.36 (KHTML, like Gecko) Chrome/96.0.4664.110 Safari/537.36

Repare no trecho do Chrome, versão 96, seguido por outros números que mostram a build atual do programa. Antigamente, os desenvolvedores da web se preocupavam apenas com o número da versão principal, ou seja, ou dois iniciais.

Sites criados em Duda e outros kits de desenvolvimento de sites podem ser quebrados pelo Google 100 (Imagem: Reprodução/Duda)
Sites criados em Duda e outros kits de desenvolvimento de sites podem ser quebrados pelo Google 100 (Imagem: Reprodução/Duda)

Quando o mundo chegar ao Chrome 100, é bem provável que os sistemas passem a entender a string como "Chrome 10", o que bloquearia o acesso por incompatibilidade, afinal o Duda é compatível com versões acima da 40 apenas — lançada em 2015. Se isso se concretizar, todas as versões após o Chrome 99 seriam percebidas como Chrome 10 e bloqueadas para o navegador do Google.

É claro que muitos desses sites provavelmente já foram abandonados pelos próprios donos, mas se ainda continuam no ar até hoje é porque tem alguém que deseja o manter ativo. Um exemplo é o site original do filme Space Jam, que foi ao ar em 1996 e permanece funcional até hoje, mas que provavelmente seria quebrado com a atualização.

Correção já está a caminho

O Google já está ciente e trabalha em uma possível correção para evitar a incompatibilidade do seu navegador com páginas da web. Uma provável solução seria mudar a ordem dos números usados pelos desenvolvedores para verificar a versão do Chrome. Dessa forma, os sites mais antigos veriam o formato que ficaria fixado em 99 para sempre: "Chrome / 99.100.1234.56" em vez de "Chrome / 100.0.1234.56".

Hoje existem alguns plugins que prometem fazer essa troca para o usuário, mas eles são pouco práticos e desconhecidos da maioria das pessoas. Por enquanto, os criadores de sites podem usar uma configuração específica do navegador para realizar experimentos em seu website. Isso deve permitir que eles saibam se a página será afetada ou não pela mudança e onde o número da versão principal do Chrome está posicionado.

  1. Abra o Chrome e digite na barra de navegadores por: chrome://flags

  2. Procure por #force-major-to-minor

  3. Ative-a e reinicie o navegador

Essa funcionalidade só funciona para quem ativar o sinalizador no Canal Dev e será usada apenas como uma solução temporária até que seja lançada a correção oficial pelo Google. Como ainda restam alguns meses para a 100º edição do Chrome (a build atual é a 96), os desenvolvedores terão até março para se prepararem para o possível "Bug do Milênio" do navegador mais popular do mundo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos