Mercado abrirá em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,15
    +1,38 (+1,26%)
     
  • OURO

    1.853,50
    -11,90 (-0,64%)
     
  • BTC-USD

    29.737,61
    +428,65 (+1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    661,57
    +5,75 (+0,88%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.526,06
    +41,71 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.795,75
    +24,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1418
    -0,0304 (-0,59%)
     

Choque de preços de alimentos e combustíveis devido à guerra deve durar ao menos 3 anos, diz Banco Mundial

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Maytaal Angel

LONDRES (Reuters) - Os choques dos preços globais de alimentos e combustíveis ligados à guerra entre Rússia e Ucrânia devem durar pelo menos até o final de 2024 e levantam o risco de estagflação, disse o Banco Mundial em relatório Perspectiva do Mercado de Commodities.

Em sua primeira análise abrangente do impacto da guerra sobre os mercados de commodities, o banco disse que o mundo enfrenta o maior choque de preços de commodities desde os anos 1970.

Ele está sendo agravado, disse, por restrições no comércio de alimentos, combustíveis e fertilizantes que estão exacerbando as já elevadas pressões inflacionárias em todo o mundo.

"Os formuladores de políticas monetárias deveriam aproveitar todas as oportunidades para aumentar o crescimento econômico e evitar ações que tragam danos à economia global", disse Indermit Gill, vice-presidente do Banco Mundial para Crescimento Equitativo, Finanças e Instituições.

A Rússia é o maior exportador mundial de gás natural e fertilizantes, e o segundo maior exportador de petróleo. Junto com a Ucrânia, é responsável por quase um terço das exportações globais de trigo, 19% das exportações de milho e 80% das exportações de óleo de girassol.

A produção e exportação destas e outras commodities têm sido afetadas desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro.

Como resultado, o Banco Mundial espera que os preços da energia aumentem mais de 50% em 2022 antes de desacelerarem em 2023 e 2024, enquanto que os preços excluindo energia mas incluindo agricultura e metais devem avançar quase 20% em 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos