Mercado abrirá em 8 h 55 min
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,47
    +0,56 (+1,25%)
     
  • OURO

    1.805,90
    +1,30 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    18.929,12
    -139,37 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    374,98
    +5,22 (+1,41%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.870,78
    +282,58 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    26.581,98
    +416,39 (+1,59%)
     
  • NASDAQ

    12.151,75
    +75,75 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4030
    +0,0061 (+0,10%)
     

Chips Apple Silicon devem ser baseados no A14 Bionic, afirmam rumores

Ramon de Souza
·1 minuto de leitura

Já sabemos, desde o mês de junho, que a Apple não usará mais chipsets da Intel nas próximas gerações das linhas MacBook e iMac — a companhia confirmou que produziria seus próprios componentes usando a arquitetura ARM, um projeto que foi batizado como Apple Silicon. Porém, ao que tudo indica, estávamos enganados ao pensar que a marca projetaria novos chipsets totalmente do zero especialmente para seus novos computadores.

Segundo informações divulgadas pelo jornal chinês China Times, os componentes utilizados nas próximas famílias MacBook, iPad Pro e iMac serão nada mais e nada menos do que variações do A14 Bionic que foi inaugurado na linha iPhone 12. O veículo garante que a Maçã já estaria trabalhando em pelo menos dois processadores derivados, além de um chip de processamento gráfico (GPU) também inspirado no A14.

<em>Imagem: Reprodução/China Times</em>
Imagem: Reprodução/China Times

A primeira variação é o A14X, que atende pelo codinome Tonga e seria empregado no MacBook e no iPad Pro; em seguida temos o A14T, codinome Mt. Jade, específico para a próxima geração de iMacs. Por fim, a GPU atende pelo apelido de Lifuka e seria projetada para equipar o próximo iMac, não sendo empregada nos laptops da companhia. O anúncio dos novos produtos estaria previsto para o mês de novembro.

Os boatos, embora vagos, fazem bastante sentido — sendo o primeiro chipset ARM fabricado no processo de 5 nanômetros, o A14 Bionic é complexo e potente o suficiente para ser adaptado para dispositivos maiores, que não possuem limitações de espaço, dissipação térmica e autonomia energética tão restritivas quanto a de um smartphone. Isto posto, é válido que a marca reutilize sua invenção para padronizar toda o seu portfólio de produtos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: