Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.925,86
    -309,90 (-0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.445,22
    +637,01 (+1,33%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,23
    +2,30 (+2,50%)
     
  • OURO

    1.802,50
    -11,20 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    24.134,00
    +471,21 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    571,79
    -2,95 (-0,51%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.329,25
    -62,75 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3258
    +0,0794 (+1,51%)
     

Chineses vão cultivar arroz em sua estação espacial

O novo módulo Wentian, recentemente acoplado ao módulo central da nova estação espacial chinesa, levou o arroz “Xiaowei” ao espaço, uma variedade especialmente criada em laboratório. Se o cultivo do arroz der certo, os astronautas a bordo da estação vão precisar de pausas ocasionais em meio às atividades para trabalhar em “colheitas espaciais”.

Criado pela Academia Chinesa de Ciências Agrícolas, o arroz Xiaowei tem tamanho mais adequado para ser cultivado na estação espacial da China. “Essa espécie de arroz é curta, mede de 20 a 30 cm”, explicou um acadêmico da Academia de Ciências da China. “Foi inicialmente desenvolvida para pesquisas teóricas, para que as pessoas possam cultivá-la em qualquer lugar”, finalizou.

O módulo Wentian tem um gabinete experimental de ecologia da vida, com cinco plataformas experimentais(Imagem: Reprodução/Shujianyang )
O módulo Wentian tem um gabinete experimental de ecologia da vida, com cinco plataformas experimentais(Imagem: Reprodução/Shujianyang )

O módulo Wentian conta com quatro gabinetes de experimentos científicos, que serão dedicados principalmente a pesquisas relacionadas à ciência da vida espacial e os fatores que podem afetá-la. “No céu, há fatores como microgravidade e, provavelmente, radiação”, observou Zhang Tao, chefe da equipe de instrumentação de ciências da vida espacial do Instituto de Tecnologia de Xangai.

Ele destacou que, por isso, haverá diferenças no ciclo de crescimento, resultados e até no ciclo de floração, e a situação da semeadura será diferente. “Em termos de processo, é muito valioso para a pesquisa científica”, ressaltou. No Wentian, por exemplo, o gabinete experimental de ecologia da vida, sozinho, conta com cinco plataformas experimentais, cada uma com objetos experimentais variados.

Já Cang Huaixing, pesquisador do Centro de Engenharia e Tecnologia de Aplicação Espacial da Academia Chinesa de Ciências, considera que o experimento de cultivo do arroz representa uma iniciativa de grande importância para a produção de alimentos na Lua e em Marte, no futuro.

Vale lembrar que o cultivo de vegetais no espaço já é realidade a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). A colheita mais recente, em dezembro, foi de pimentas que, após análise, foram usadas para preparar um jantar mexicano para os astronautas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos