Mercado abrirá em 2 h 16 min
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,03
    -1,92 (-2,74%)
     
  • OURO

    1.798,80
    +13,60 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    56.543,36
    -591,42 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.429,44
    +0,51 (+0,04%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.003,05
    -106,90 (-1,50%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.276,00
    -114,75 (-0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3506
    +0,0214 (+0,34%)
     

China visa corte de 1,8% no uso médio de carvão em usinas de energia até 2025

·1 min de leitura

PEQUIM (Reuters) - A China sinalizou na quarta-feira que tem como meta uma redução de 1,8% no uso médio de carvão para geração de eletricidade em usinas de energia nos próximos cinco anos, em uma tentativa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

A meta, anunciada pelo planejador econômico da China, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC), surge no momento em que os principais negociadores do clima mundial se reúnem na Escócia para as negociações climáticas da COP26. O uso médio de carvão para geração de eletricidade na China caiu cerca de 17,4% nos 15 anos até 2020.

A declaração da NDRC não se referiu à conferência da ONU. O presidente chinês, Xi Jinping, não compareceu ao evento e não ofereceu promessas adicionais em uma resposta por escrito.

Até 2025, as usinas termoelétricas na China precisam ajustar sua taxa de consumo para uma média de 300 gramas de carvão padrão por quilowatt-hora (kWh), disse o NDRC na quarta-feira. Isso se compara a 305,5 gramas por kWh em 2020.

"Promover ainda mais a economia de energia e a redução do consumo em unidades de energia movidas a carvão é um meio eficaz de melhorar a eficiência energética e é de grande importância para atingir o pico de emissão de carbono na indústria de energia", disse o NDRC.

A China, maior fonte mundial de gases de efeito estufa que aquecem o clima, prometeu levar suas emissões de carbono a um pico antes de 2030 e alcançar a neutralidade de carbono até 2060.

(Reportagem de Muyu Xu e Shivani Singh)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos