Mercado abrirá em 2 h 8 min
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,40
    -1,55 (-2,22%)
     
  • OURO

    1.798,40
    +13,20 (+0,74%)
     
  • BTC-USD

    56.670,64
    -344,12 (-0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.433,95
    +5,02 (+0,35%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.005,53
    -104,42 (-1,47%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.287,25
    -103,50 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3506
    +0,0214 (+0,34%)
     

China vai permitir adiamento de pagamento de impostos pelo setor manufatureiro, diz Conselho de Estado

·1 min de leitura

PEQUIM (Reuters) - A China vai adiar a exigência de pagamento de alguns impostos para empresas do setor manufatureiro por três meses a partir de novembro, devido ao impacto dos altos preços das matérias-primas e do aumento dos custos de produção, disse o gabinete do país nesta quarta-feira, de acordo com a TV estatal.

O diferimento de tributos chega a um total de cerca de 200 bilhões de iuanes para empresas menores do setor manufatureiro, disse a China Central Television citando o Conselho de Estado após uma reunião presidida pelo premiê Li Keqiang.

Além disso, o governo também permitirá que as empresas de carvão e de aquecimento adiem seus pagamentos de impostos --no valor de cerca de 17 bilhões de iuanes-- no quarto trimestre para ajudar a resolver suas dificuldades operacionais, de acordo com a reunião.

A atividade fabril da China encolheu inesperadamente em setembro devido à escassez de energia e aos preços elevados dos insumos, intensificando os ventos contrários que a economia chinesa enfrenta, entre os quais restrições em seus setores de propriedade e tecnologia.

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 4,9% entre julho e setembro em relação ao mesmo período do ano anterior, ritmo mais fraco desde o terceiro trimestre de 2020, aumentando a pressão sobre autoridades do país para implementar medidas de apoio visando estabilizar a economia em desaceleração.

O governo estudará mais políticas de redução de impostos para entidades de mercado na próxima etapa e intensificará ajustes finos e preventivos das macropolíticas no momento apropriado, disse a reunião do Conselho de Estado.

A China também estenderá isenções fiscais sobre juros de títulos para investidores estrangeiros até o fim de 2025, acrescentou a reunião.

(Por Stella Qiu e Ryan Woo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos