Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,71
    +0,53 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.776,10
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    57.364,93
    -533,17 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.456,40
    +13,62 (+0,94%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    28.024,20
    +202,44 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    16.206,75
    +56,25 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3939
    +0,0239 (+0,38%)
     

China vacina crianças de 3 anos em meio a novos surtos de Covid

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- A China começou a vacinar crianças de apenas 3 anos contra a Covid-19, justo quando o país volta a enfrentar a variante delta e surtos mais frequentes de coronavírus.

Most Read from Bloomberg

Várias regiões da China estão vacinando crianças de 3 a 11 anos, de acordo com informações da mídia local. Os imunizantes, desenvolvidos pela Sinovac Biotech e pela estatal Sinopharm, da China, já foram administrados a maiores de 12 anos. O país havia aprovado a vacinação de crianças acima de 3 anos em junho.

A China tem uma das maiores taxas de vacinação entre as principais economias, com 75% da população de 1,4 bilhão com esquema vacinal completo. O país atualmente aplica doses de reforço em adultos vacinados há seis meses.

A China tenta frear a onda mais recente de Covid-19, e os surtos agora são mais frequentes do que antes da chegada da variante delta do coronavírus. Ainda assim, o governo de Pequim continua comprometido com a estratégia de tolerância zero para a Covid, que mantém as fronteiras fechadas e quarentenas em vigor mesmo quando países que haviam adotado a mesma política começam reabrir suas economias e conviver com o vírus.

O mais recente surto provocado pela delta se expandiu rapidamente do foco inicial no noroeste da China para cerca de uma dúzia de províncias. O país registrou 35 casos de Covid de transmissão local na terça-feira, sendo quatro em Pequim. Em um surto em setembro na província de Fujian, sudoeste do país, a cepa mais contagiosa se propagou entre alunos não vacinados do ensino fundamental, embora muitos tenham desenvolvido apenas sintomas leves.

Crianças, o último grupo a ser incluído nas campanhas de imunização, foram atingidas globalmente pela recente onda provocada pela delta, o que levou autoridades de saúde a autorizarem ou considerarem a aplicação de vacinas. O imunizante de RNA mensageiro codesenvolvido pela Pfizer e BioNTech é 91% eficaz na prevenção de Covid em crianças de 5 a 11 anos, segundo um estudo, e os EUA planejam disponibilizar vacinas para essa faixa etária, medida que ainda aguarda o sinal verde da reguladora FDA.

As vacinas aplicadas em crianças na China usam a tecnologia inativada, mais tradicional. Os Emirados Árabes Unidos aprovaram o imunizante da Sinopharm para crianças a partir dos 3 anos em agosto. A Argentina também está vacinando a faixa etária de 3 a 11 anos com a Sinopharm. O Chile, que se apoiou no imunizante da Sinovac em sua campanha, agora imuniza crianças de 6 anos ou mais com a Coronavac.

Dados públicos sobre a eficácia de vacinas chinesas em crianças são mínimos, embora a Sinovac esteja preparando um ensaio clínico com crianças na África do Sul, de acordo com o News24. No Brasil, a Anvisa negou em agosto um pedido para o uso da Coronavac em crianças e adolescentes e solicitou dados mais recentes sobre o desempenho da vacina.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos