Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.506,12
    +456,58 (+1,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

China troca 50 milhões de computadores e dá 'troco' aos EUA; entenda

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
China's national flag in Hong Kong. Photographer: Paul Yeung/Bloomberg
Situação deve afetar as vendas diretas de empresas como HP e Dell

(Paul Yeung/Bloomberg)

  • China ordena substituição de computadores de marcas estrangeiras por versões nacionais;

  • Governo central tem dois anos para se adequar à medida;

  • Decisão deve trocar pelo menos 50 milhões de aparelhos.

A China ordenou, a agências do governo central e corporações estatais, que troquem computadores de marcas estrangeiras por opções nacionais dentro de dois anos. A medida deve substituir pelo menos 50 milhões de aparelhos.

A decisão marca mais um passo tomado por Pequim para reduzir a dependência tecnológica que seus principais órgãos têm de rivais geopolíticos, como os Estados Unidos, por exemplo. A meta é evitar não apenas computadores, como semicondutores, servidores, telefones e outros.

Conforme divulgado pela Bloomberg, os funcionários dos órgãos devem trocar os computadores por alternativas locais que rodam em software operacional desenvolvido internamente. Tal situação deve afetar as vendas diretas de empresas como HP e Dell, as maiores do país, e beneficiar a chinesa Lenovo – que pode aumentar drasticamente suas vendas, segundo Nathan Naidu, andalista da Bloomberg Intelligence.

Futuro da medida

Por enquanto, somente o nível do governo central será contemplado com a alteração, mas a meta é ampliar, posteriormente, a campanha para os governos regionais. Segundo as fontes ouvidas pela Bloomberg, que preferiram não se identificar, o prazo aplicado será o mesmo (de dois anos).

Além disso, algumas agências de mídia estatal e órgãos de segurança cibernética poderão continuar comprando equipamentos estrangeiros por meio de licenças especiais. Ainda assim, há a possibilidade de que isso seja revogado no futuro.

A Bloomberg tentou entrar em contato com o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação e o Gabinete de Informação do Conselho de Estado, mas não houve resposta até a publicação da matéria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos