Mercado fechará em 6 h 20 min
  • BOVESPA

    109.917,56
    -663,23 (-0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,54
    +0,77 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.851,40
    -14,00 (-0,75%)
     
  • BTC-USD

    29.714,53
    +477,61 (+1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    660,36
    -10,64 (-1,59%)
     
  • S&P500

    3.950,51
    +9,03 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    31.950,67
    +22,05 (+0,07%)
     
  • FTSE

    7.519,32
    +34,97 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.711,75
    -59,25 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1470
    -0,0252 (-0,49%)
     

China tem muitas ferramentas para lidar com desaceleração econômica, diz planejador estatal

·1 min de leitura
Apartamentos em construção em Shenzhen, China

PEQUIM (Reuters) - A China tem ferramentas "relativamente abundantes" em reserva para lidar com o ano desafiador à frente e implementará essas medidas em tempo hábil para estabilizar o crescimento, disse o planejador estatal do país nesta terça-feira.

Yuan Da, porta-voz da Comissão Nacional de Reforma e Desenvolvimento, disse em coletiva de imprensa que o governo chinês implementará rapidamente medidas para impulsionar a demanda doméstica e estudará ações direcionadas para reforçar a produção industrial.

A segunda maior economia do mundo se recuperou em 2021 com seu melhor crescimento em uma década, apoiada por exportações robustas, mas está perdendo força devido ao enfraquecimento do consumo, sobrecarregado por repetidos surtos de Covid-19 e uma desaceleração do setor imobiliário.

"Continuaremos intensificando o monitoramento e a previsão da economia e estudando as ferramentas em reserva, e implementando medidas relevantes e oportunas com base na necessidade das operações econômicas para garantir um desenvolvimento econômico estável, saudável e sustentável", disse Yuan.

O banco central da China cortou de forma inesperada na segunda-feira os custos dos empréstimos de médio prazo pela primeira vez desde abril de 2020, com alguns analistas de mercado prevendo mais flexibilização da política monetária neste ano para amortecer uma desaceleração econômica.

(Por Shen Yan, Stella Qiu e Ryan Woo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos