Mercado abrirá em 1 h 53 min

China tem mais de 25 mil voos cancelados por coronavírus

Cibelle Bouças

A capacidade internacional caiu em 568 mil assentos por semana, com mais de 30 empresas suspendendo voos para o país A China terá nesta semana 25 mil voos domésticos e internacionais a menos em comparação com duas semanas atrás. A capacidade internacional caiu em 568 mil assentos por semana, com mais de 30 empresas suspendendo voos para o país, incluindo Lufthansa, Turkish Airlines e Lion Air. Os dados são da consultoria especializada em aviação OAG Aviation Worldwide.

Essa perda equivale a todo o mercado aéreo indiano, segundo a consultoria.

Mais cedo, a American Airlines anunciou a suspensão de voos para Hong Kong até 20 de fevereiro, citando uma demanda fraca à medida que os casos de pessoas contaminadas pelo coronavírus se espalha, de acordo com a agência Dow Jones.

A empresa aérea escandinava SAS também informou hoje que estendeu a suspensão de voos para a China até 29 de fevereiro. Na semana passada, a empresa disse que suspenderia voos para Xangai e Pequim até o dia 9, por causa do coronavírus.

A Cathay Pacific e a Cathay Dragon anunciaram que vão cortar 90% dos voos para a China continental nos próximos dois meses, alegando queda drástica na demanda em função do coronavírus. As empresas esperam, com isso, cortar a oferta de voos em 30%.

As companhias aéreas chinesas também racionalizam os voos para os Estados Unidos. A Air China, uma das maiores operadoras do mercado, propôs uma combinação de serviços entre as companhias aéreas, com atendimento único e voos compartilhado, para manter alguns voos entre os EUA e a China.

Mais grave que os cancelamentos de voos internacionais é a paralisação de voos domésticos na China. O país reduziu em 3,8 milhões de assentos nesta semana a oferta de passagens aéreas em voos domésticos, ou cerca de 23 mil voos a menos em relação à semana passada.

De acordo com a consultoria, em termos percentuais, Cingapura e Tailândia registraram as maiores quedas na capacidade, com redução de 38% e 34%, respectivamente. Em termos absolutos, a Tailândia teve a maior redução de assentos, com 100 mil lugares perdidos na semana. Seis das maiores companhias aéreas afetadas estão na China, com a China continental sofrendo mais o impacto do coronavírus, com 82 mil assentos a menos nesta semana em relação à semana passada.

AP Photo/Arek Rataj