Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.191,12
    -106,13 (-0,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

China reutiliza avião espacial pela primeira vez

Na última sexta-feira (26), a Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC), a principal contratante do programa espacial chinês, anunciou que reutilizou um avião espacial suborbital pela primeira vez. O procedimento representa mais um avanço no projeto do país, focado em desenvolver um sistema de transportes completamente reutilizável.

Segundo um comunicado da CASC, o veículo suborbital foi lançado do Centro de Lançamentos de Satélites de Jiuquan, no deserto de Gobi. Depois, o avião pousou no aeroporto Alxa Right Banner, na Mongólia. A publicação não trouxe imagens do veículo ou os parâmetros do voo.

Na verdade, a única indicação de que o veículo em questão era, de fato, um avião espacial, estava no comunicado, no qual a CASC descreveu que o veículo “pousou suave e horizontalmente” no aeroporto. A missão discreta representa o segundo voo do avião espacial surborbital desenvolvido pela Academia Chinesa de Tecnologias de Veículos Lançadores (CALT), uma subsidiária da CASC — o primeiro aconteceu em julho do ano passado.

No início do mês, a CALT havia lançado um outro avião espacial em uma missão orbital, e parece que ele ainda não voltou ao solo. É possível que tanto o avião espacial orbital quanto o suborbital sejam combinados para criar algum sistema de transporte espacial, com a capacidade de ser totalmente reutilizável.

Enquanto isso, a China segue trabalhando em projetos de outras naves e aviões espaciais também reutilizáveis: a Corporação de Ciência e Indústria Aeroespacial da China (CASC), por exemplo, está desenvolvendo o avião espacial Tengyun. Já a Space Transportation, empresa comercial chinesa, já soma mais de US$ 40 milhões que serão destinados a aviões espaciais hipersônicos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: