Mercado fechado

China quer que bancos limitem seus lucros a um dígito em 2020

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Os reguladores financeiros da China estão pedindo aos bancos que mantenham o crescimento do lucro abaixo de 10% este ano, enquanto orientam as instituições a apoiar a economia que enfrenta sua pior queda em quatro décadas, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

Os reguladores vão pedir aos bancos que sacrifiquem os lucros com maior concessão de empréstimos a taxas mais baixas, aumento de suas provisões para perdas com empréstimos e reconhecimento de forma mais proativa de créditos duvidosos, disseram as pessoas, pedindo para não serem identificadas porque o assunto não é público. Algumas filiais locais da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China começaram as conversas com bancos em suas jurisdições, disseram duas pessoas.

A China pressionará as instituições financeiras a sacrificar 1,5 trilhão de yuans (US$ 212 bilhões) em lucro este ano para apoiar as empresas, disse a televisão estatal citando reunião do Conselho de Estado liderada pelo premiê Li Keqiang.

O pedido ressalta as preocupações com a rapidez com que a China pode se recuperar do surto de coronavírus. Embora os bancos chineses já esperassem desempenhos mais fracos este ano, a limitação de suas aspirações por ganhos poderia motivá-los a reforçar proteções contra futuros empréstimos. Isso também evitaria que os bancos apresentassem grandes lucros em condições econômicas difíceis, segundo as pessoas.

A Comissão Reguladora não respondeu imediatamente ao pedido de comentários.

O sistema bancário de US$ 41 trilhões da China lidera o apoio a empresas afetadas pelo surto de coronavírus e pelo impacto de sua disseminação global. Em um cenário negativo severo, assumindo crescimento econômico anual de 4,8% até 2021, o setor poderá enfrentar queda sem precedentes de 39% nos lucros este ano, de acordo com o UBS Group.

O plano também pode revelar o verdadeiro nível de inadimplência na China, com dados oficiais mostrando até agora alta apenas marginal, mesmo depois de o lockdown no início deste ano ter atingido fortemente muitos mutuários.

Bancos liderados pelo Banco Industrial e Comercial da China mais do que duplicaram os empréstimos a empresas no primeiro trimestre, enquanto adiaram mais de 1,5 trilhão de yuans em pagamentos. Isso permitiu que os bancos reportassem aumento de apenas 0,06 ponto percentual nos índices de inadimplência para 2,04% no final de março, enquanto registravam alta 5% no lucro combinado para 600 bilhões de yuans.

Ainda assim, alguns bancos listados em bolsa, incluindo China Merchants Bank e Bank of Ningbo conseguiram entregar crescimento que superou 10%.

As orientações do órgão regulador vão afetar alguns bancos nacionais de médio porte e bancos comerciais locais, disseram as pessoas.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.