Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.539,83
    +1.882,18 (+1,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.201,81
    +546,36 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    41,51
    +0,05 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.911,80
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    11.927,37
    +870,36 (+7,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    239,54
    +0,62 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.443,12
    +16,20 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    28.308,79
    +113,37 (+0,40%)
     
  • FTSE

    5.889,22
    +4,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.569,54
    +27,28 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    23.567,04
    -104,09 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    11.681,00
    +20,25 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6264
    +0,0275 (+0,42%)
     

China quer produzir mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 por ano

·1 minuto de leitura
Aproximadamente 11 vacinas chinesas estão sendo testadas clinicamente, com quatro delas na fase três e em fase de progresso
Aproximadamente 11 vacinas chinesas estão sendo testadas clinicamente, com quatro delas na fase três e em fase de progresso

O programa chinês de vacinas contra a covid-19 está "na liderança" e o governo de Pequim espera chegar até o final do ano com uma capacidade de produção anual de mais de 600 milhões de doses, informaram as autoridades nesta sexta-feira (25).

A China expressou seu otimismo sobre o desenvolvimento desta vacina, objeto de pesquisa em todo o mundo para conter a pandemia, que causou a morte de quase um milhão de pessoas em todo o planeta.

Autoridades de saúde chinesas informaram, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, que a China espera produzir antes do fim do ano cerca de 610 milhões de doses anuais, e ao menos 1 bilhão por ano no decorrer de 2021.

Aproximadamente 11 vacinas chinesas estão sendo testadas clinicamente, com quatro delas na fase três e em fase de progresso, afirmou Wu Yuanbin, do Ministério da Ciência e Tecnologia.

"A pesquisa na China sobre uma vacina covid-19 está na liderança" afirmou Wu.

"Estamos vendo que são vacinas seguras e que não produzem sérias reações adversas", acrescentou.

Centenas de milhares de trabalhadores em setores essenciais de portos, hospitais e outras atividades de alto risco recebem uma vacina experimental desde julho, segundo as autoridades, que afirmam que o programa tem o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

"A segurança da vacina (experimental) foi comprovada, mas sua eficácia não está totalmente certificada", destacou Zheng Zhongwei, da Comissão Nacional de Saúde.

lxc/rox/rma/me/eg/aa