Mercado fechará em 6 h 42 min
  • BOVESPA

    111.685,37
    -30,63 (-0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,74
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.652,10
    -3,50 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    19.075,06
    +9,42 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    436,96
    -7,58 (-1,71%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.973,88
    -44,72 (-0,64%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.359,00
    -17,75 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1434
    +0,0458 (+0,90%)
     

China promoverá políticas fiscais e monetárias para estabilizar emprego

Bandeira da China é vista em rua de Pequim

PEQUIM (Reuters) - A China se concentrará na criação de empregos e promoverá políticas fiscais, monetárias e industriais para estabilizar seu mercado de trabalho, disse Li Zhong, vice-ministro do Ministério de Recursos Humanos e Previdência Social, nesta quinta-feira.

À medida que a economia chinesa luta para se recuperar de uma queda induzida pela Covid-19, a taxa de desemprego juvenil subiu para um recorde de 19,9% em julho, enquanto a taxa de desemprego urbano, baseada em pesquisa nacional, diminuiu, mas permaneceu elevada em 5,4%. Os pagamentos de seguro-desemprego atingiram um recorde em junho.

A situação do emprego na China permaneceu estável por muito tempo, mas a pressão de longo prazo persiste, disse Li em entrevista coletiva em Pequim.

"As contradições estruturais tornaram-se mais proeminentes com o aumento das incertezas e fatores instáveis. A questão do emprego ainda enfrenta grandes desafios", disse ele.

A segunda maior economia do mundo foi impactada por bloqueios prolongados da Covid-19 na primavera (no Hemisfério Norte), que interromperam a produção das fábricas e as cadeias de suprimentos e prejudicaram as pequenas empresas, que criam muitos empregos. O setor privado fornece um terço de todos os empregos na China e cria 90% dos novos empregos urbanos, informou a mídia estatal.

Para sustentar a economia, a China adicionou 19 novas políticas além das medidas existentes, incluindo o aumento da cota de ferramentas de financiamento de políticas em 300 bilhões de iuanes (43,69 bilhões de dólares), disse a mídia estatal citando o gabinete após uma reunião regular presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang, na quarta-feira.

(Reportagem de Ellen Zhang e Liz Lee)