Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,01 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.783,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    18.164,32
    +396,26 (+2,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +15,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3930
    +0,0531 (+0,84%)
     

China promete apoio de política monetária no 2° semestre em meio a situação econômica complexa

·1 minuto de leitura

PEQUIM (Reuters) - A China garantirá apoio de política monetária à economia no segundo semestre diante de uma situação econômica "severa e complexa", afirmou nesta quinta-feira o principal órgão de decisão do Partido Comunista.

A política monetária da China será mais flexível e direcionada, enquanto sua política fiscal será mais proativa, informou a mídia estatal após uma reunião do Politburo presidida pelo presidente chinês, Xi Jinping.

Uma recuperação mais forte do que a esperada na atividade no segundo trimestre reduziu a urgência de novas ações do Banco do Povo da China, após medidas de emergência sem precedentes no início do ano.

Mas, como ainda há medidas para conter o novo coronavírus, o Politburo prometeu garantir "um crescimento razoável" no suprimento de dinheiro e no financiamento social, e disse que a coordenação da política macroeconômica deve ser fortalecida diante de uma situação econômica "grave e complexa".

"Vamos garantir que as políticas macroeconômicas sejam implementadas e eficazes", afirmou em comentários divulgados pela agência de notícias estatal Xinhua.

O Politburo disse que pretende reduzir significativamente os custos gerais de financiamento para as empresas com a próxima rodada de apoio financeiro, com foco principalmente em empresas de manufatura e micro e pequenas empresas, além de expandir o investimento efetivo e o consumo final para impulsionar a demanda doméstica.

A China também vai assegurar o financiamento de grandes projetos, disse o Politburo, que também se comprometeu a buscar um crescimento econômico de maior qualidade, promover reformas e abrir a economia no plano quinquenal do governo, mas não deu mais detalhes.