Mercado fechará em 5 h 48 min
  • BOVESPA

    112.233,86
    +1.984,13 (+1,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.262,98
    +434,85 (+0,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,82
    +1,33 (+1,89%)
     
  • OURO

    1.773,80
    -4,40 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    42.397,11
    -248,21 (-0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.059,69
    +19,20 (+1,85%)
     
  • S&P500

    4.385,73
    +31,54 (+0,72%)
     
  • DOW JONES

    34.228,36
    +308,52 (+0,91%)
     
  • FTSE

    7.084,46
    +103,48 (+1,48%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.099,25
    +75,25 (+0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1937
    +0,0146 (+0,24%)
     

China proíbe hidrelétricas de fornecer eletricidade à mineradores de Bitcoin

·2 minuto de leitura

A proibição da mineração de bitcoins na China tem sido um dos principais pontos de preocupação dos investidores, sendo até mesmo um dos responsáveis pela queda do bitcoin em maio. O país asiático continua no caminho contrário do criptomercado, fazendo questão de continuar a coibir os mineradores, com a província de Yunnan cortando as mineradoras de criptomoedas da rede de energia hidrelétrica.

De acordo com notícias locais o Gabinete do Governo Popular da Província de Yingjiang emitiu uma nota oficial alertando que as usinas hidrelétricas da região devem aumentar ainda mais a supervisão do uso de energia para a mineração de Bitcoin.

O aviso alerta que as hidrelétricas devem não apenas identificar e supervisionar as minerações de Bitcoin, mas também remover os mineradores da rede de fornecimento. De acordo com as notícias, as usinas têm até terça-feira (24), para conseguir colocar as proibições em ação.

Caso as hidrelétricas não cumpram o prazo para remover os mineradores da rede de fornecimento, o Escritório de Energia do Estado quer “desmontar às operações à força” dentro da jurisdição da província.

Além disso, o alerta também acrescenta que os municípios são obrigados a reforçar a fiscalização dos Data Center e das centrais hidrelétricas da província. As usinas também precisam reportar à Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China todos os desmantelamentos das operações de mineração na rede.

O governo provincial (e também o nacional) está realmente tratando a mineração de Bitcoin como um atividade altamente ilegal afirmando que essa atividade depende de “acesso privado não autorizado à eletricidade, evasão de taxas de transmissão e distribuição do estado, fundos e violações adicionais com fins lucrativos”.

Esse caso não é novidade para quem está acompanhando o criptomercado nos últimos meses. A repressão da China vem sendo aplicada com rigor desde que o país deu os primeiros sinas que estava “contra” a criptomoeda.

No entanto isso não significou o fim para todo o criptomercado como muitos acreditavam, com a rede se reestruturando automaticamente em países que não proíbem a mineração do bitcoin e também possuem energia barata, até mesmo os EUA voltou a ser uma boa opção para muitos.

Com um faturamento ainda bilionário e o Bitcoin voltando a ganhar força nos últimos dias, há motivos para acreditar que cada vez o ecossistema se afasta do FUD e da influência da China, provando a descentralização teórica do Bitcoin. Mas, claro, ainda é preciso esperar para ver se essa nova onda de repressão terá efeito negativo no preço da criptomoeda.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos