Mercado abrirá em 8 h 22 min
  • BOVESPA

    101.016,96
    -242,79 (-0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.245,86
    -461,86 (-1,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,71
    +0,15 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.910,40
    +4,70 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    13.081,60
    -27,19 (-0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,67
    -2,75 (-1,04%)
     
  • S&P500

    3.400,97
    -64,42 (-1,86%)
     
  • DOW JONES

    27.685,38
    -650,19 (-2,29%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.634,17
    -284,61 (-1,14%)
     
  • NIKKEI

    23.428,70
    -65,64 (-0,28%)
     
  • NASDAQ

    11.505,25
    +13,00 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6449
    +0,0044 (+0,07%)
     

China prevê safra abundante de grãos em meio a condições positivas para cultivo

·1 minuto de leitura

PEQUIM (Reuters) - A China deverá registrar nas próximas semanas uma colheita abundante de grãos, impulsionada pelas boas condições de cultivo e por um aumento nas áreas de plantio, disse o ministro da Agricultura e Assuntos Rurais do país, Han Changfu, em um comunicado nesta quarta-feira.

Os comentários foram feitos após preocupações de que recentes tufões pudessem reduzir a produção de milho, que já possui oferta apertada.

Analistas afirmaram na semana passada que, após as tempestades atingirem o cinturão do milho do nordeste chinês, a safra do cereal deveria recuar em até 10 milhões de toneladas, ou quase 4%, em relação às últimas estimativas do governo.

As expectativas de perdas na produção fizeram com que os contratos futuros do milho na China atingissem uma máxima recorde, além de gerarem preocupações de escassez de oferta no segundo maior consumidor global do grão.

Han não especificou sobre quais safras estava se referindo, mas disse que a área total de plantio de grãos de outono (do Hemisfério Norte) aumentou em 8% neste ano.

Além do milho, soja e arroz também são colhidos no outono chinês.

O ministro observou que três tufões consecutivos acamaram o milho em algumas áreas da parte central do nordeste chinês.

No entanto, considerando a maturidade da safra naquele momento, Han afirmou que o impacto à produção deve ser limitado, principalmente com aumento na dificuldade e no custo da colheita.

O milho no nordeste da China tem apresentado desenvolvimento "melhor que o normal", acrescentou ele.

(Reportagem de Dominique Patton)