Mercado fechará em 6 h 42 min
  • BOVESPA

    108.657,37
    +6,32 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,50
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.810,80
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    23.921,85
    +659,90 (+2,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    561,73
    +4,38 (+0,79%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.508,05
    +19,90 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.318,50
    +287,00 (+2,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2172
    -0,0155 (-0,30%)
     

China prepara novas regras para controlar notificações push e pop-ups

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Na última quarta-feira (02), as autoridades chinesas divulgaram um novo rascunho sobre os regulamentos relacionadas às notificações push e pop-ups. Com as regras, Pequim espera impedir o uso excessivo das ferramentas por parte dos aplicativos chineses e controlar a quantidade de conteúdo compartilhado pelas notificações.

Na China, as notificações push já se tornaram rotina na vida dos consumidores com o crescimento das big techs e as possíveis restrições poderão prejudicar prestadores de serviços — como o Baidu, a Tencent e a Meituan, por exemplo — em termos de lucro, visto que dependem da ferramenta para promover seus serviços.

As novas regras indicam um controle mais rigoroso do conteúdo, considerando que uma das propostas preliminares informa que plataformas não homologadas — sem uma “licença de notícias na internet”, liberada pela Administração do Ciberespaço da China (CAC) — não serão autorizadas a enviar informações por meio de notificações push.

O projeto de regulamentação é aparentemente parte de um esforço das autoridades chinesas para “limpar” conteúdos relacionados a promoções e ofertas da internet do país após a implantação das novas regras de algoritmos e IA pelo CAC, no início deste mês.

As regras preliminares marcam um esforço da indústria para “limpar” conteúdos relacionados à promoções e ofertas da internet chinesa (Imagem: Reprodução/Tim Samuel/Pexels)
As regras preliminares marcam um esforço da indústria para “limpar” conteúdos relacionados à promoções e ofertas da internet chinesa (Imagem: Reprodução/Tim Samuel/Pexels)

Sobre as regras

As novas regras exigem que os prestadores de serviços não "abusem" de notificações e pop-ups que "tornem questões sociais ou tópicos de entretenimento em alta em assuntos banalizados e sensacionalistas".

Pequim também estabelece nas regras que as empresas devem enviar conteúdos que aderem aos “valores centrais” do governo. Além disso, as diretrizes também determinam que as janelas pop-ups e notificações devem contar com um botão de saída visível para os usuários e informá-los se os anúncios possuem natureza paga.

De acordo com as autoridades, empresas de tecnologia chinesas têm abusado do uso de notificações e pop-ups para promover conteúdos sensacionalistas. Além disso, os usuários chineses de celulares Android recebem, em média, 100 notificações por dia, segundo a instituição chinesa Universal Push Association (nome traduzido pelo Canaltech).

Outro motivo para o endurecimento das regras está relacionado ao fato de que as notificações push e os pop-ups também podem enganar jovens e idosos — que estão mais suscetíveis a gastarem dinheiro com apps desnecessários.

O rascunho das novas regras ficará disponível para avaliação pública até o dia 17 de março deste ano e espera-se que as diretrizes sejam implementadas em breve no país.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos