Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.644,15
    -621,37 (-1,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Veto à carne bovina do Brasil para China deve ser breve

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A China agora conta com menos opções de suprimento de carne bovina depois da suspensão das exportações do Brasil para o país asiático devido à descoberta de dois casos de doença da vaca louca.

Além da suspensão temporária anunciada pelo Brasil, dois grandes fornecedores da China, Argentina e Austrália, tiveram o acesso reduzido ao maior mercado mundial de carne bovina importada este ano. A Argentina limitou as exportações de carne bovina até 31 de outubro para controlar a inflação, enquanto o produto da Austrália está sujeito a restrições comerciais impostas pela China em meio ao embate entre os dois países.

Isso sugere que a proibição das exportações brasileiras de carne bovina não deve ser duradoura. Como os dois casos de doença da vaca louca são de natureza “atípica”, a suspensão provavelmente será um “problema de curto prazo”, disse Chenjun Pan, analista do Rabobank. Um caso atípico é raro e ocorre espontaneamente, ao contrário dos casos clássicos causados por ração contaminada.

A suspensão das exportações entrou em vigor no sábado e foi declarada em conformidade com os protocolos de saúde entre Brasil e China. O governo de Pequim vai decidir quando começará a importar novamente.

A questão deve ser resolvida em breve, e a Organização Mundial de Saúde Animal provavelmente manterá o status sanitário do Brasil, disse a Marfrig Global Foods na segunda-feira. No caso da Minerva, a empresa continuará exportando para a China por meio da subsidiária Athena Foods, que tem fábricas no Uruguai e na Argentina.

Em junho de 2019, o Brasil suspendeu as exportações de carne bovina para a China após um caso atípico de doença da vaca louca, e a proibição foi suspensa pelo governo chinês cerca de 10 dias depois.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos