Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,65
    +0,60 (+0,83%)
     
  • OURO

    1.784,10
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    50.607,35
    +431,55 (+0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.320,56
    +15,44 (+1,18%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.382,50
    +64,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2761
    -0,0636 (-1,00%)
     

China pode ter atingido o limite exascale e consolidado liderança na supercomputação

·2 min de leitura
China pode ter atingido o limite exascale e consolidado liderança na supercomputação
China pode ter atingido o limite exascale e consolidado liderança na supercomputação

Segundo um informante não identificado, a China pode ter consolidado sua supremacia na supercomputação não com um, mas com dois sistemas exascale. As duas máquinas teriam sido criadas no National Supercomputing Center em Wuxi, conforme a fonte anônima revelou à publicação especializada The Next Platform.

Os computadores – que são o sistema Sunway “Oceanlite” e o Tianhe-3 – supostamente atingiram um pico de capacidade de processamento de 1,3 exaflops. Se isso for verdade, marcaria a primeira vez que um único supercomputador – quanto mais dois – atingiu o limite exascale.

Leia mais:

O que é a computação exascale?

De acordo com a publicação, os computadores exascale são sistemas capazes de calcular pelo menos 10¹⁸ operações de ponto flutuante por segundo, índice também conhecido como exaflop.

Até então, nenhum sistema no mundo atingiu oficialmente essa meta. No entanto, o relatório da Next Platform pode ser um indicador de que a China o atingiu – e que deseja mantê-lo em segredo.

Cientista trabalhando em um supercomputador do National Supercomputing Center em Wuxi, na China. Imagem: YANGBO – CHINANEWS
Cientista trabalhando em um supercomputador do National Supercomputing Center em Wuxi, na China. Imagem: YANGBO – CHINANEWS

Por que ele faria isso? Bem, sabemos que a China e os EUA têm historicamente uma relação fria em termos de inovações científicas e tecnológicas. Recentemente, uma declaração polêmica apimentou ainda mais essa disputa: Nicolas Chaillan, ex-chefe de tecnologia do Pentágono, disse que renunciou em protesto contra o ritmo lento da transformação tecnológica nos EUA – e ainda afirmou que a China está dominando o segmento, em especial no desenvolvimento de inteligência artificial avançada.

China pode ter vazado informação de propósito

Soma-se a isso outra notícia recente de que a China teria lançado um teste de míssil hipersônico – embora eles tenham negado, alegando que era apenas um experimento com uma nave espacial.

Portanto, a China pode ter alcançado a meta de computação exascale, mas deseja manter suas inovações em segredo devido ao clima geopolítico sensível.

A Next Platform também sugere que o país escolheu vazar a informação para evitar a publicação de resultados de benchmark – apenas no caso do supercomputador americano “Frontier” superá-los quando for revelado no futuro. Claro, também pode ser totalmente mentira e o país ainda não atingiu o limite exascale.

Seja qual for o caso, a ideia de que a China pode ter alcançado a computação exascale é empolgante – embora, por enquanto, não passe de especulação.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos