Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.711,93
    +917,60 (+2,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

China planeja vacinar 50 milhões até início de fevereiro

Bloomberg News
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A China prepara uma campanha ambiciosa para inocular 50 milhões de pessoas contra a Covid-19 antes do Ano Novo Lunar. O país planeja usar vacinas desenvolvidas localmente que estão perto de receber aprovação regulatória.

O governo chinês vai priorizar a administração de vacinas de fabricação chinesa para grupos-chave, como profissionais de hospitais, polícia, aeroportos e alfândegas, bem como funcionários de concessionárias de serviços públicos, de acordo com pessoas a par do assunto, que não quiseram ser identificadas.

As instruções foram comunicadas em teleconferência recente com representantes da Comissão Nacional de Saúde e unidades provinciais do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, disseram as pessoas. O jornal South China Morning Post divulgou o plano anteriormente.

A distribuição seria equivalente a inocular aproximadamente toda a população da Coreia do Sul em menos de dois meses, e estabeleceria o ritmo mais ambicioso globalmente, à frente de outros países como EUA e Reino Unido, que também correm para distribuir doses. O sistema centralizado e controlado da China demonstrou capacidade de alcançar um amplo número de pessoas durante a pandemia. A estratégia do país de recorrer à realização de testes em massa de cidades inteiras ou populações, como Wuhan, quando surgem focos se mostrou bem-sucedida.

Cerca de 50 milhões receberão a primeira dose antes de 15 de janeiro e a segunda dose até 5 de fevereiro, em uma tentativa de prevenir surtos antes e durante as comemorações do Ano Novo, disse uma das pessoas. O feriado de uma semana, que começa em 11 de fevereiro, normalmente leva centenas de milhões de chineses a viajarem pelo país para reuniões familiares, o que aumenta o risco de transmissão da Covid-19.

Embora as fontes não tenham citado as vacinas domésticas a serem usadas, o regulador de medicamentos do país deve aprovar as vacinas fabricadas pela estatal China National Biotec Group (CNBG) e Sinovac Biotech para uso geral.

A Comissão Nacional de Saúde não respondeu a um pedido de comentário enviado por fax, enquanto o CDC da China não comentou. Um porta-voz da Sinovac disse que a empresa não tem conhecimento do plano, e uma porta-voz da CNBG não respondeu a perguntas no WeChat.

A China já está administrando vacinas desses fabricantes de vacinas a centenas de milhares de pessoas, incluindo funcionários da linha de frente. O novo plano busca expandir significativamente a inoculação em todo o país, mobilizando as extensas redes do CDC e clínicas da China.

Os desenvolvedores de vacinas chineses fecharam acordos de fornecimento com países como Indonésia, Cingapura, Turquia, além dos Emirados Árabes Unidos que, no início deste mês, disseram que o imunizante da CNBG mostrou taxa de eficácia de 86% em um ensaio local com mais de 30 mil pessoas.

Ainda assim, fabricantes ocidentais divulgaram mais detalhes e dados sobre os ensaios, e é provável que haja mais ceticismo em relação a administrar as vacinas chinesas globalmente.

A rápida distribuição destaca o foco do governo de Pequim em prevenir uma repetição do surto em Wuhan no início do ano. Embora a China quase tenha eliminado a transmissão local e a vida tenha voltado ao normal para a grande maioria da população, casos esporádicos foram detectados nas últimas semanas em Heilongjiang, nordeste do país, em Xinjiang, no oeste, e na província de Sichuan, no interior.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.