Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.263,14
    -187,27 (-0,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

China pára de divulgar negociação de títulos após fuga recorde

(Bloomberg) -- A principal plataforma de negociação de títulos para investidores estrangeiros da China parou silenciosamente de fornecer dados sobre suas transações, uma medida que pode aumentar as preocupações sobre a transparência no mercado de dívida de US$ 20 trilhões do país após saídas recordes.

As negociações diárias de investidores no exterior foram fornecidas pela última vez em 11 de maio pelo Sistema de Negociação de Câmbio da China, segundo pessoas a par do assunto, que pediram para não serem identificadas.

Os dados mostraram saídas estrangeiras líquidas consideráveis naquele dia, com algumas vendas também vistas na maioria dos dias de abril, disseram as pessoas.

Não está claro por que o órgão parou de publicar os números, que normalmente são atualizados um dia depois, disseram as pessoas. Também não houve indicação se a mudança foi temporária ou relacionada ao lockdown de Xangai, a capital financeira do país.

Um porta-voz do órgão - que é afiliado ao banco central da China e compila dados sobre o mercado interbancário - não respondeu a um pedido de comentário.

Os dados ausentes aumentam a incerteza sobre os fluxos de capital para dentro e para fora da China, em um momento em que os lockdowns de Covid e dúvidas sobre apoio monetário concreto alimentam a volatilidade.

Fundos globais venderam valores recordes de dívida soberana chinesa em fevereiro e março, quando o prêmio de rendimento sobre títulos do Tesouro americano entrou em colapso.

Embora a China tenha dado grandes passos nos últimos anos para melhorar o acesso estrangeiro aos seus mercados de dívida e ações, os investidores internacionais há muito se preocupam com a confiabilidade das estatísticas econômicas do país e outros dados oficiais. Essas preocupações tendem a aumentar em períodos de turbulência econômica e financeira.

Atraso de abril

As transações de investidores domésticos ainda estão sendo publicadas, disseram as pessoas. Além do mercado interbancário, o maior do país, os títulos são negociados em bolsas.

Os investidores também estavam aguardando a divulgação atrasada de um relatório de abril sobre as negociações de títulos pela câmara de compensação Chinabond. A informação, que normalmente é divulgada por volta do dia 10 de cada mês, é um resumo dos títulos de custódia e inclui o saldo da dívida interna detida por instituições no exterior.

Os dados divulgados na terça-feira mostraram que investidores estrangeiros descarregaram 42 bilhões de yuans (US$ 6,2 bilhões) de títulos do governo chinês em abril.

Embora as saídas tenham diminuído a partir de março, abril marcou o terceiro mês consecutivo de vendas por fundos estrangeiros. Essa foi a sequência mais longa de vendas mensais desde 2015.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos