Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,37
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.763,30
    -15,50 (-0,87%)
     
  • BTC-USD

    43.625,01
    +1.438,15 (+3,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.095,62
    +55,14 (+5,30%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.747,39
    +525,85 (+2,17%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.207,50
    +44,00 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2091
    +0,0003 (+0,00%)
     

China oferece estádio de 150 milhões de dólares ao Camboja

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, fala com o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi (AFP/TANG CHHIN Sothy)

A China ofereceu neste domingo (12) um estádio à capital do Camboja, Phnom Penh, no valor de US $ 150 milhões, a maior infraestrutura já oferecida ao país, segundo o governo.

O estádio de 60.000 lugares é o mais recente projeto da iniciativa Novas Rotas da Seda de mais de US $ 1 trilhão, que visa expandir a influência de Pequim no exterior.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participou da inauguração do recinto esportivo, que sediará os Jogos do Sudeste Asiático de 2023.

A infraestrutura, que se chamará Estádio Nacional Morodok Techno, tem o formato de um veleiro que simboliza a amizade entre os dois países, de quando os chineses costumavam viajar de barco ao Camboja, informou uma fonte oficial.

Os dois países aproveitaram a visita de Wang para assinar diversos contratos, para os quais Pequim prometeu um investimento de 250 milhões de dólares em projetos de desenvolvimento, segundo o primeiro-ministro cambojano.

Wang Yi garantiu que a China nunca imporá "condições políticas" à sua cooperação com Phnom Penh.

O Camboja é um aliado de longa data da China e recebeu bilhões de dólares em empréstimos e investimentos, mas também, mais recentemente, quase 28 milhões de doses da vacina contra a covid-19, das quais 4,3 milhões foram doadas.

suy/aph/els/cls/pc/eg/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos