Mercado fechado

China não recorrerá a estímulos massivos em infraestrutura conforme investimento desacelera

PEQUIM (Reuters) - A China adotará uma abordagem direcionada para aumentar o investimento e não recorrerá a estímulos massivos em sua ofensiva em infraestrutura, disse a agência de planejamento estatal nesta terça-feira, à medida que Pequim reforça o apoio para estabilizar sua economia em desaceleração.

Os comentários sinalizando uma abordagem cautelosa ao estímulo ocorrem um dia após dados econômicos mostrarem que o investimento em ativos fixos registrou um crescimento fraco em novembro.

"Não abriremos categoricamente as comportas de estímulos e avançaremos cientificamente com esses grandes projetos", disse Meng Wei, porta-voz da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, a repórteres.

Meng disse que o mercado terá um papel decisivo na alocação de recursos e que o apoio a projetos de infraestrutura nas regiões central e oeste da China será intensificado.

Dados oficiais divulgados na segunda-feira mostraram que o investimento em ativos fixos na China cresceu 5,2% de janeiro a novembro, em linha com o aumento observado nos primeiros 10 meses, que foi o mais fraco em décadas. O investimento em infraestrutura, em particular, diminuiu ainda mais.

A China tem confiança em atingir suas metas econômicas para o ano, disse Meng.

Pequim disse que vai manter sua postura fiscal proativa e sua política monetária prudente, tornando os ajustes econômicos mais prospectivos, direcionados e eficazes.